Como o caminhoneiro deve se preparar para viagens de longa distância

viagens de longa distância
17 minutos para ler
Planilha Cálculo de FretePowered by Rock Convert

Fazer viagens de longa distância pode ser complicado até para os motoristas mais experientes e com muito tempo de estrada. Para tudo ocorrer de forma tranquila e sem muitos imprevistos, é essencial que o condutor e a empresa se prepararem e busquem antecipar os problemas e tomar a decisão certa diante dos imprevistos na estrada.

Pensando nisso, preparamos um guia completo para você que vai pegar a estrada por um longo tempo. Quer saber como se planejar, prevenir de alguns problemas e aproveitar ao máximo a viagem (financeiramente e otimizando o tempo gasto)? Continue com leitura!  

Planejamento da viagem

Negligenciar o planejamento da viagem, pode ter sérias consequências para o caminhoneiro. Uma das principais é o prejuízo financeiro, devido ao desperdício de tempo, o que gera atraso nas entregas e impossibilita pegar outros fretes, que poderiam render bons lucros.

Além disso, a falta de planejamento pode oferecer riscos à integridade do motorista, que na maioria das vezes tenta compensar as horas perdidas dirigindo durante seu momento de descanso. Isso pode levar a uma direção perigosa e, consequentemente, promover acidentes — até fatais — na estrada.

Mas existem algumas medidas que podem ser tomadas na hora de fazer o planejamento. Continue a leitura!

Alimentação

Evitar refeições pesadas antes das viagens pode gerar muitos benefícios. Além de fazer bem à saúde do condutor, as comidas mais saudáveis ajudam a inibir o sono enquanto o caminhoneiro está no volante.

Se você gosta de preparar sua própria refeição, não se esqueça da salada e dos vegetais. Afinal, a famosa combinação arroz, feijão e carne não é capaz de suprir as necessidades do organismo referentes a vitaminas e nutrientes.

Lembre-se: uma dieta balanceada e saudável oferece ao motorista mais disposição para encarar longas horas de estrada e reflete positivamente na saúde e também no bolso. 

Itinerário

Outro ponto importante nesse planejamento é saber organizar o itinerário. E isso não envolve apenas estabelecer os pontos de partida e chegada, mas também calcular com sabedoria cada parada a ser feita durante o trajeto. 

É importante estabelecer locais para se alimentar, dormir e abastecer o caminhão. Para tornar o itinerário mais completo, leve em consideração também os intervalos nos pedágios e postos de fiscalização.

Em muitos deles são executados procedimentos de passagem que podem exigir um tempo considerável de parada. Antecipe-se a isso para não ser pego de surpresa, atrasando mais ainda a viagem.

Informações sobre a carga

Todo caminhoneiro sabe que cada tipo de carga tem a sua particularidade e algumas regras. Para o transporte de cargas vivas, inflamáveis ou refrigeradas, por exemplo, existem protocolos diferente e detalhados. Portanto, procure conhecer bem o que está transportando e conheça a legislação.

Quando se trata de detalhes logísticos, é bom ficar atento aos procedimentos referentes a carga e descarga dos produtos. É importante verificar com atenção alguns pontos, tais como:

  • horário e local disponíveis para carga e descarga;
  • toda a documentação necessária para comprovar a entrega e o recebimento dos produtos;
  • ter o contato das pessoas responsáveis por receber e embarcar a carga;
  • notas fiscais dos itens carregados no caminhão, para serem apresentadas nos postos de fiscalização.

Vale lembrar dos imprevistos que podem acontecer e, de certa forma, ocupar mais o tempo do motorista. Entre eles estão as filas para a descarga (que podem até gerar a cobrança de uma diária) e também os clientes que só recebem os itens mediante agendamento.

Portanto, considere essas eventualidades, já que isso pode afetar o seu planejamento inicial e até mesmo o cronograma que você cria entre uma viagem e outra (principalmente se elas são feitas em sequência).

Planejamento da rota  

Um dos pontos mais importantes para o sucesso das viagens é saber fazer o planejamento de rota. Tenha em mente que nem sempre o caminho conhecido ou o mais curto e confortável é o melhor em questão de logística. Na maioria dos casos, buscar opções diferenciadas é sinônimo de redução de custos e eficiência na hora das entregas.

Uma rota bem-planejada, pode levar o condutor a fugir de estradas esburacadas, conduzir por caminhos mais diretos e práticos, antecipar-se a bloqueios e desvios inesperados e, principalmente, evitar rotas onde há uma frequência de ações criminosas, como roubo de cargas e sequestro. 

Além disso, pode-se conseguir uma boa economia em relação ao gasto de combustível — tendo em vista que os trajetos mais longos são eliminados — e com a manutenção das peças. Outro fator importante é a redução do tempo de entrega dos pedidos, o que garante mais excelência com o serviço e maior satisfação dos clientes.

Para que esse planejamento seja executado de maneira certa, é importante agir de forma inteligente, seguindo algumas medidas e processos que beneficiem seu trabalho na hora de elaborar o trajeto da frota. Então, procure:

  • otimizar seu calendário de transporte, para atender melhor e com mais agilidade os pontos de entrega;
  • verificar as restrições do cliente com relação a horários e ordem de recebimento, evitando o risco de devoluções e custos com reentrega;
  • investir em tecnologia, tanto nos caminhões quanto nos escritórios da empresa, com instalações de softwares de planejamento e serviços de rastreamento;
  • contar com equipe especializada, capaz de realizar as tarefas com dinamismo e eficiência.

Caminhões para longas distâncias

Outro ponto de atenção: você precisa saber qual é o caminhão de carga ideal para cada viagem. Para isso, é fundamental conhecer as características da carga (cubagem, peso, tipo de produtos etc.) e o tipo de viagem que será realizada. Assim, você sabe se usa uma carreta ou um truck, por exemplo.

Geralmente, a carreta é o veículo mais utilizado para viagens em longa distância. Por ter maior capacidade, permite que sejam levados mais itens de uma só vez, o que reduz os custos do frete total. O raciocínio é simples: ainda que o gasto seja um pouco maior, ele ainda será menor do que o de realizar duas viagens em um veículo de capacidade inferior.

Porém, deve-se levar em conta que transportar uma carga que não ocupa totalmente o veículo representa prejuízo. Para um dono de frota, isso é ainda mais importante, visto que ele pode combinar (sempre que possível) itens de clientes diferentes para aproveitar ao máximo o espaço disponível.

Cuidados com a manutenção

Com intuito de obter mais segurança no transporte da carga até o cliente, é fundamental que alguns cuidados sejam tomados em relação à manutenção dos caminhões. Além da segurança, a prevenção garante a integridade do motorista durante as viagens.

Por isso, destacamos alguns pontos importantes para se levar em conta durante todo o processo de transporte.

Cuidados prévios

Cheque com antecedência o tempo de deslocamento, o horário em que os itens poderão ser descarregados no cliente, além de conferir com precisão o endereço da entrega. Certifique-se da existência de algum ponto de repouso antes de iniciar a viagem de volta. Providencie também uma revisão básica e rápida para evitar surpresas no retorno.

Verificação do tanque

Por conta da umidade do ar existente em determinadas regiões, acaba-se acumulando água no tanque do caminhão. Então, faça sempre uma drenagem desse líquido acumulado antes de prosseguir no trajeto. Uma dica para evitar esse acumulo é mantendo o tanque sempre cheio.

Faróis

Sendo um dos itens mais importantes do veículo, os faróis têm que estar sempre funcionando perfeitamente. Eles que vão auxiliar o motorista a dirigir com segurança nos trajetos noturnos ou sob condições climáticas desfavoráveis — neblina, por exemplo.  Dê máxima atenção a esses acessórios na hora da revisão e assegure-se de testar os faróis alto e baixo, além das luzes de freio, pisca alerta, ré e seta.

Atenção aos pneus

Antes de dar início a qualquer viagem, analise minunciosamente a situação dos pneus e não prossiga caso estejam carecas. Quando eles estão em um estado ruim de preservação, as chances de acidente aumentam consideravelmente. 

Procure um especialista e providencie a calibragem, além de ajustar também o alinhamento e o balanceamento. Não se esqueça de avaliar a situação do estepe, triângulo, macaco e chaves de roda, que também deve estar em perfeitas condições, para o caso de haver algum imprevisto na estrada.

Limpador de para-brisas

Outro acessório que deve estar em perfeito funcionamento é o para-brisas do caminhão. Ele garante ao motorista uma melhor visualização da estrada em dias de chuva e, com isso, sua segurança.

Teste-o jogando água no para-brisa e ligando o limpador. Se ele não removê-la com eficiência, leve a um especialista para trocar as palhetas, que provavelmente estarão ressecadas ou danificadas, devido ao desgaste natural causado pelo tempo.

Óleo

Verificar o óleo é de suma importância para evitar ficar na mão durante as entregas. Certifique-se que ele esteja no nível recomendado e, caso não seja o caso, leve a um local especializado para completar.

Fique atento se o produto utilizado segue as exigências indicadas no manual do fabricante do veículo e, em hipótese alguma, ande com o óleo vencido (observe a indicação na etiqueta colada no vidro do caminhão ou em alguma anotação de registro com as datas das últimas trocas).

Além de reforçar a segurança, a manutenção correta do óleo auxilia na prevenção de danos ao motor e não compromete sua viagem.

Faça manutenções preventivas

Como o nome já sugere, esse tipo de manutenção tem como objetivo principal prevenir de ocorrências de falhas ou paradas na estrada, devido a danos nas peças e componentes do veículo. 

Esse serviço tem que ser bem planejado e programado, de modo que suas etapas sejam executadas com eficiência e precisão. Procurar uma empresa especializada e contratar um plano que seja adequado às suas necessidades é a melhor maneira de realizar esse processo.

Conheça algumas vantagens que o motorista adquire ao contratar um plano de manutenção periódica:

  • redução do envelhecimento ou degeneração de equipamentos;
  • prevenção de paradas não previstas por dano em alguma peça no decorrer do trajeto;
  • antecipação a defeitos em componentes de vida útil estabelecida;
  • redução nos custos com manutenções corretivas.

Custos de uma viagem de longa distância

Como em qualquer outro setor, o de logística também tem gastos fixos (emplacamento, seguro, tributos e encargos obrigatórios, salários e valor de depreciação dos veículos) e variáveis (peças de manutenção, pneus, combustível) que precisam ser calculados.

Os variáveis pesam bastante na hora de calcular os custos de uma viagem de longa distância, enquanto os fixos influenciam nos trajetos mais curtos. Considerando o tipo de trajeto, tenha como base as especificidades e características que cada caminhão possui na hora de fazer os cálculos. Outros fatores também devem ser levados em conta, como:

  • modelo e ano do veículo utilizado;
  • média de consumo de combustível dos caminhões;
  • o tipo de carga e o peso que será transportado;
  • distância do trajeto e o tipo de rota de cada entrega.
  • peças e acessórios de manutenção;
  • gastos com pedágios, pontos de parada para descanso e alimentação.

Se você é motorista autônomo, precisa se lembrar de incluir todas as variáveis na hora de calcular o custo do frete. Além do gasto com combustível, alimentação e outros relacionados à viagem, é preciso ter em mente que uma hora será necessário trocar os pneus e levar o veículo para a manutenção — isso gera um custo que precisa ser pago de alguma forma, portanto, programe-se para esses momentos.

Por outro lado, se você é dono de frota, acompanhar esses dispêndios é essencial para saber quanto a operação impacta no seu orçamento e o que pode ser feito para diminuir gastos, aumentando sua margem de lucro sobre os fretes.

Monitoramento da frota

É por meio do monitoramento e rastreamento da frota que se torna possível acompanhar e controlar tanto os veículos quanto as cargas transportadas. Mas esse serviço vai muito além do que apenas monitorar a localização dos produtos. Essa tecnologia auxilia no fluxo de informações, no acompanhamento das rotinas de atividades da frota e ajuda a aprimorar o planejamento e a criação de novas ações.

Ele pode ser realizado de várias formas, dependendo do tipo de atividade que a empresa segue. Vamos a algumas delas!

Consumo de combustível

Estando entre um dos maiores gastos em uma viagem longa, o monitoramento auxilia na função de controlar em tempo real o combustível utilizado durante o trajeto por meio das informações de quilômetros rodados que o sistema recebe.

Manutenções

Nessa função, o sistema monitora a necessidade dos caminhões de realizar manutenções periódicas, além de auxiliar no agendamento desses serviços, armazenando as informações em um banco de dados com históricos de manutenções anteriores e mandando alertas. Isso otimiza as ações de prevenção e pode gerar uma economia significativa dos custos com manutenção.

Rotas

Fundamental para controlar as atividades de percurso da frota, essa tecnologia ajuda a melhorar as previsibilidades dos trajetos e se antecipar a imprevistos que possam ocorrer, como bloqueios ou vias obstruídas, reduzindo o tempo das entregas e otimizando o atendimento ao cliente.

Controle dos custos operacionais

O monitoramento também permite um maior rigor no controle de custos gerais das operações, possibilitando análises objetivas com o intuito de melhorar as tomadas de decisões em relação a gastos, tornando o processo mais organizado e prático.

Além disso, o gestor tem acesso a todas as informações necessárias para definir estratégias, implantar melhorias na frota e analisar os resultados. Dentre essas melhorias, ele pode obter:

  • redução de custos;
  • aumento no nível do serviço;
  • ganho em produtividade e eficiência;
  • maior lucratividade.

6 dicas para caminhoneiros de primeira viagem

Por fim, separamos algumas dicas para orientar caminhoneiros iniciantes sobre as boas práticas de viagens de longa distância. Vamos conhecê-las?

1. Documentação em dia 

É imprescindível ao motorista possuir os documentos pessoais, do veículo e da carga que está transportando para evitar ser barrado durante algum posto de fiscalização. Assim, você evita sofrer com multas e outras penalidades (como o guincho), que podem afetar o seu lucro sobre o frete e atrasar as entregas para os clientes — o que é ainda pior!

2. Manutenção em dia

Antes de cada nova viagem, procure levar o caminhão para uma inspeção geral em uma oficina especializada para verificar as condições do veículo. Isso evita acidentes na estrada e imprevistos que podem atrasar a entrega.

É aí que entra a importância das manutenções preventivas. Se a oficina é visitada periodicamente, existe a possibilidade de o mecânico encontrar pequenas falhas e corrigi-las antes que se tornem defeitos graves, fazendo com que os consertos fiquem mais caros e aumentando o risco de acidentes nas estradas.

Portanto, lembre-se sempre daquele velho ditado: prevenir é melhor do que remediar. Em vez de encarar a manutenção preventiva como um custo recorrente, pense que pesa muito mais no bolso fazer uma manutenção corretiva de urgência — além de trazer prejuízos financeiros, passa-se mais tempo na oficina e menos tempo fazendo entregas.

3. Estude o trajeto

Pesquise sobre a rota estabelecida e fique por dentro dos caminhos que você vai tomar durante a viagem. Procure saber também sobre os pontos de descanso, abastecimento e alimentação. Verifique se são locais seguros e que preservem a sua integridade. Procure também, sempre que possível, fugir de trajetos que são muito visados por assaltantes — mesmo que o caminho seja um pouco mais longo, é melhor garantir a sua segurança e a das cargas.

4. Cuide da segurança

Para sua segurança, do caminhão e da carga, procure manter a prudência durante suas paradas. Existem algumas medidas que podem ser tomadas para auxiliar nessas ações de prevenção, tais como:

  • estacionar em lugares iluminados;
  • manter as portas trancadas;
  • não deixar a carga e objetos valiosos expostos;
  • manter a discrição sobre informações pessoais, do cliente ou da empresa em que você trabalha;
  • não dar carona a estranhos;
  • agir com prudência e não reagir a assaltos ou emboscadas;
  • verificar as condições do contrato de seguro vigente para a carga, o veículo e o motorista.

5. Cuidado com a saúde

Para realizar com segurança e eficiência os trajetos de longa distância, você deve tomar alguns cuidados com relação ao seu bem-estar e saúde. Como já dito, manter uma dieta balanceada e se alimentar nas horas certas é muito importante para conseguir aguentar o ritmo da jornada.

Outro ponto crucial nesse processo é realizar os descansos corretamente. Além de evitar que o condutor pegue no sono ao volante, o motorista pode se prevenir de um mal que atinge a maior parte dos caminhoneiros: o estresse.

Além disso, providencie exames médicos regularmente e adote as práticas citadas não apenas durante o trabalho, e sim no cotidiano, com intuito de elevar sua qualidade de vida.

6. Pratique a direção defensiva

Por último, mas não menos importante, o condutor deve sempre praticar a direção defensiva. Um motorista irresponsável e imprudente, além de ter prejuízos financeiros, pode colocar em risco a carga, a própria vida e a de outras pessoas. 

As principais medidas de boa conduta no trânsito são:

  • manter sempre a atenção na estrada;
  • não negligenciar as paradas e o tempo de descanso;
  • não fazer uso de drogas ou bebidas alcoólicas durante todo o período da viagem;
  • cumprir as regras de trânsito previstas na cartilha do código do DETRAN;
  • praticar a direção defensiva.

7. Cuidado com a ergonomia

Você já ouviu falar de ergonomia? Esse é um termo muito usado pelo pessoal da área de segurança do trabalho. Mas o que isso tem a ver com um caminhoneiro e as viagens realizadas por ele? Muita coisa!

De forma resumida, podemos dizer que o termo significa “o estudo voltado para otimizar as condições do trabalho humano”. No que diz respeito ao motorista, isso está ligado à postura no volante, à realização de movimentos repetitivos e à adoção de paradas de tempos em tempos para se alongar.

Tudo isso é voltado para melhorar a qualidade de vida e contribuir para preservar a saúde e o bem-estar dos profissionais. Deixar a ergonomia de lado pode representar dores nas costas, cansaço acima do normal, problemas causados pelos movimentos repetitivos, entre outros.

Como foi possível perceber, existem muitas coisas envolvidas no planejamento de viagens de longa distância, as quais vão muito além de conhecer as cargas, o local de destino e a rota a ser percorrida. Tanto os motoristas quanto os donos da frota podem se aproveitar de recursos e tecnologia para melhorar o tempo na estrada e chegar até os clientes no menor tempo possível.

O que achou deste post? Suas dúvidas sobre o assunto foram esclarecidas? Então, aproveite para assinar a nossa newsletter e receber todas as novidades relacionadas ao transporte de cargas e dicas para caminhoneiros!

como prolongar a vida útil do seu caminhãoPowered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-