Trabalhar nas rodovias e estradas brasileiras transportando mercadorias em um caminhão tem suas vantagens, mas começar essa carreira pode não ser tão simples. Afinal, há exigências legais e necessidades específicas a cumprir, para garantir a segurança no trânsito e a qualidade de vida do caminhoneiro.

Se você está entrando agora no mercado, também é normal ter dúvidas a respeito de qual é o melhor caminhão para começar. Por isso, falaremos neste artigo sobre quais passos precisam ser seguidos antes de começar a procurar pelos fretes.

Além disso, daremos algumas dicas úteis de boas práticas para viagens mais seguras e econômicas.

Continue a leitura e confira!

Conheça algumas diferenças entre um caminhão novo e um usado

Antes de qualquer coisa, devemos começar pelo principal: a escolha do veículo. Ao iniciar na carreira, é comum o motorista ficar na dúvida sobre qual é o melhor caminhão para começar. Deve-se investir em um novo ou optar por um usado?

A seguir, explicaremos as principais diferenças entre essas duas escolhas. Veja só!

Manutenção

Optar por um caminhão novo exige um investimento inicial maior em relação a um usado. Porém, algumas vantagens pesam positivamente na hora dessa decisão. Uma delas é o custo com a manutenção.

Um caminhão usado, apesar de mais barato, requer um investimento maior em acessórios de reposição e visitas frequentes à oficina. Dependendo do modelo e do estado do veículo, não se encontra peças originais disponíveis no mercado.

Nesses casos, você fica refém de produtos paralelos (os chamados “genéricos”) ou dos usados — que podem até funcionar, mas não oferecem as mesmas garantias em relação ao uso e à segurança da que os itens originais.

Por outro lado, veículos novos contam com garantias do fabricante e manutenções agendadas. Além disso, há a certeza do uso de peças originais e de qualidade. Algumas montadoras e concessionárias oferecem ainda planos mensais, para você não ficar na mão quando houver algum imprevisto.

Facilidades na hora da compra  

Com o objetivo de facilitar a vida de quem decide comprar um caminhão novo, alguns órgãos governamentais, como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), ­ oferecem incentivos e programas que podem tornar mais vantajosa a escolha por um zero-quilômetro.

Ao optar por um usado ou seminovo, faça a escolha pela compra à vista, se possível, já que assim é possível obter descontos. Por outro lado, ao optar por um financiamento, quanto maior a quantidade de parcelas, maior será o custo com taxas e juros, o que pode tornar o custo-benefício de adquirir um usado ou seminovo menor, em relação à aquisição de um veículo novo.

Rendimento do motor

Outro fator que pode ser determinante na hora de escolher entre um veículo novo e um usado é o rendimento do motor.

Dependendo do estado e da qualidade das peças, o desempenho dos usados pode cair consideravelmente, devido aos desgastes naturais causados pelo uso ou pela falta de manutenção e cuidados do antigo dono.

Motores novos tendem a proporcionar melhores resultados na estrada, otimizando as viagens e diminuindo, por exemplo, os custos com combustível, o tempo de deslocamento e a necessidade de revisões – sem contar a redução de risco de acidentes.

Passo a passo para começar a fazer viagens

Agora que você tirou suas dúvidas sobre o custo-benefício de adquirir um caminhão novo e um usado, vamos às dicas de como começar as suas viagens. Veja a seguir alguns cuidados que podem (e devem) ser tomados antes de iniciá-las.

Faça o curso obrigatório e outras qualificações

Para conquistar seu registro de Transportador Autônomo de Cargas (TAC), é preciso realizar um curso específico na área, regulamentado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Isso se o profissional não possuir 3 anos de experiência prévia, como é o caso de quem está começando.

O Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat), órgão educacional do Serviço Social do Transporte (Sest), oferece o curso gratuitamente por meio de seu site. O caminhoneiro pode fazer as aulas online e agendar uma prova presencial para obter o certificado.

Além desse curso, que é obrigatório, é recomendado ao iniciante na profissão buscar outras qualificações importantes para gerenciar sua carreira e exercer as atividades com mais segurança e eficiência. São cursos em gestão financeira, marketing para profissionais autônomos, direção defensiva e mecânica básica de caminhões.

Regularize sua situação

Após o recebimento do certificado do curso de TAC, será possível obter o Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC). O documento é exigido pela ANTT para que o trabalhador possa exercer a profissão em todo o país.

Para realizar o cadastro, o caminhoneiro precisa apresentar, além do referido certificado e dos documentos do caminhão, a carteira de identidade e o Cadastro de Pessoa Física (CPF). Também precisa estar em dia com as contribuições sindicais.

Além disso, é importante que o caminhoneiro se cadastre junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), para realizar o pagamento da Previdência Social. É bom frisar também que a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) nas categorias C ou E — a depender do tipo de veículo a ser conduzido — é uma exigência para todos os caminhoneiros.

Organize a documentação

Certifique-se de portar sempre a CNH e o certificado de licenciamento do veículo. Tenha também uma pasta na cabine do seu “bruto” para transportar e organizar toda a documentação necessária para exercer a profissão, como as notas fiscais das mercadorias a serem transportadas, documentos do seguro do veículo e garantias de peças e componentes.

Após a inscrição no RNTRC, é obrigatória a colocação dos adesivos com o número do registro nos reboques ou semirreboques e nas laterais da cabine do caminhão.

Consiga um frete

Para conseguir um frete e começar a trabalhar, o caminho mais fácil é buscar por ofertas na internet e contar com a ajuda de aplicativos de celular. No entanto, não pegue qualquer serviço. Anúncios sem muitas informações, em sites sem credibilidade ou em aplicativos não especializados podem trazer dores de cabeça na hora de receber.

Por isso, prefira as plataformas já consagradas, como Sontra CargoBrasilFretesFreteBrasTruckPad e QueroFrete. É preciso que o caminhoneiro se cadastre nesses sites e, em alguns casos, baixe o aplicativo para celular.

Essas plataformas permitem o contato com um número maior de embarcadores em todo o país, facilitando a contratação e permitindo que o caminhoneiro pegue fretes de retorno.

Cheque a carga embarcada

Antes de dar início à viagem, confira se a carga foi embarcada corretamente. No final da viagem, a integridade da mercadoria transportada fará toda a diferença para a sua imagem como profissional, independentemente se a culpa de uma eventual avaria for sua ou não.

Além disso, quando há um problema com a carga no meio da viagem, é o caminhoneiro quem tem de lidar com ele sozinho. Portanto, o melhor é apostar na prevenção, conferindo a amarração e o acondicionamento das mercadorias, bem como a condição das travas das cintas e das portas do implemento.

Dicas para fazer as viagens com segurança

Faça uma revisão no veículo

Antes de sair em viagem, o caminhoneiro deve ter a certeza de que seu veículo está em perfeitas condições de uso. Assim, faça uma revisão completa do caminhão e siga os agendamentos da fabricante ou concessionária, caso tenha comprado um zero-quilômetro.

No caso de caminhões usados, faça uma manutenção preventiva, além da revisão completa, trocando os fluidos (óleo do motor e líquido do arrefecimento), a correia dentada do motor e os filtros (de óleo, de combustível e de ar). Esvazie os balões de ar dos freios e troque a graxa da quinta roda, se houver. Depois, é importante seguir o manual do proprietário quanto aos prazos para as revisões.

Planeje suas rotas

O planejamento da rota permite que o caminhoneiro tenha um melhor aproveitamento de tempo, economize combustível e programe suas paradas. Também ajuda na conservação do caminhão ao evitar trechos problemáticos, com pista mal conservada e tráfego intenso.

Para planejar a rota, o profissional pode contar com a tecnologia de mapas interativos e aplicativos como o Google Maps e o MapLink. Essas plataformas oferecem em tempo real diversas informações sobre o caminho (como estabelecimentos, pedágios, altitudes dos trechos), a situação do trânsito e outras ocorrências (buracos na via, blitz policial, acidentes e veículos quebrados, por exemplo).

Já nos sites das concessionárias, o caminhoneiro pode ter informações mais detalhadas sobre os valores e a localização dos pedágios e dos serviços de emergência nas rodovias.

Se possível, invista em ferramentas de monitoramento

Para aumentar a segurança das viagens e otimizar o transporte das cargas, existem algumas ferramentas que auxiliam no monitoramento. Tecnologias como GPS e rastreador ajudam a acompanhar o cumprimento das rotas.

Se você tem disponibilidade para investir em uma solução mais completa, uma boa opção é a Telemetria — que coleta e transmite (via sinais de rádio ou satélite) dados sobre o caminhão e o transporte. Por meio dela, pode-se contar com algumas funções, como:

  • controle do consumo de combustível;
  • identificação da localização de cada veículo;
  • apontamento de falhas durante o transporte;
  • criação de banco de dados com históricos de cada veículo.

Respeite os limites de peso das cargas

Transportar cargas acima do limite de peso e tamanho oferece diversos riscos. Entre eles:

  • avarias nas mercadorias, causando prejuízo financeiro;
  • acidentes na estrada;
  • multas e penalidades (tanto para o veículo quanto para o motorista).

Faça contratação de seguros

Contratar seguros é algo bem contraditório, já que sempre esperamos não precisar deles. Mas vale lembrar que eles são de suma importância para se manter resguardado dos prejuízos que podem surgir com alguma ocorrência. Sendo assim, o ideal é contar com seguros tanto para carga quanto para o veículo.

Seguro de cargas

O seguro obrigatório de Responsabilidade Civil do Transportador Rodoviário de Carga (RCTR-C), de responsabilidade da transportadora, cobre perdas e danos provocados por acidentes na estrada, como:

  • abalroamento;
  • colisão;
  • tombamento;
  • capotagem;
  • incêndio ou explosões.

Já o seguro de Responsabilidade Civil por Desaparecimento de Carga (RCF-DC) é facultativo, ou seja, fica a seu critério contratá-lo ou não. Ele garante indenização para desaparecimento de cargas e veículos, no caso de roubos ou furtos.

Seguro dos veículos

A contratação de um seguro para o veículo resguarda você dos prejuízos que podem ser causados em várias situações, entre elas:

  • colisão;
  • roubo;
  • danos materiais;
  • incêndio.

Também existem coberturas adicionais para basculantes, carrocerias, serviços complementares e outras despesas extraordinárias.

No caso da contratação de um seguro para frotas, a quantidade mínima de veículos necessária para adquirir a apólice depende da determinação da seguradora. Algumas consideram 4 caminhões, enquanto outras só fecham contrato a partir de 6.

Diferentemente do seguro individual, considera-se o desempenho da frota, e não de cada veículo, especificamente. Outro ponto que difere uma modalidade da outra é a precificação, que pode variar bastante, já que considera o ramo de atuação e outros fatores, como:

  • utilização dos caminhões;
  • região de atuação;
  • composição da frota (tipos de veículos).

Mantenha seus motoristas treinados e qualificados

Procure contratar profissionais qualificados e regularizados para o transporte de cargas, evitando dores de cabeça com prejuízos financeiros durante as viagens e insatisfação dos clientes. Ofereça cursos que auxiliem na capacitação dos motoristas, tais como:

  • direção defensiva;
  • prevenção de acidentes, roubos e assaltos;
  • orientação para lidar com os tipos de mercadoria e suas particularidades.

Dirija com segurança

Por último, mantenha sempre uma postura defensiva ao volante. Tenha sempre em mente que o mais importante é chegar ao seu destino.

Dirija sempre nas faixas à direita, mantendo uma distância de segurança dos veículos da frente e respeitando o limite de velocidade. Redobre a atenção em ultrapassagens e cruzamentos, mesmo que a preferência seja sua.

Após ter planejado a rota e tomado os devidos cuidados com a manutenção do caminhão, a probabilidade acontecer de um imprevisto é bem menor. Portanto, mantenha a calma e volte com tranquilidade para seu lar.

Recomendação da Polícia Federal para transporte de cargas

Com o objetivo de preservar a saúde e a segurança no trânsito e das cargas, a Polícia Federal sempre indica alguns cuidados a serem adotados pelos caminhoneiros durante as viagens. Além disso, também existem algumas boas práticas voltadas para essas questões. Confira algumas a seguir:

  • fazer pausas durante a jornada e cumprir o descanso diário de 8 horas ininterruptas;
  • fazer paradas em postos, evitando beiras de estradas e locais mal iluminados;
  • não parar em casos de suspeita de emboscadas (objetos na pista, itens arremessados nos vidros etc).

Além disso, existem outras boas práticas que podem ser adotadas. Entre elas:

  • procurar manter uma alimentação saudável;
  • fazer exames médicos periodicamente;
  • evitar o uso de substâncias químicas (como drogas, álcool e estimulantes);
  • cumprir com o planejamento de rotas;
  • ter cuidado com a postura ao volante;
  • manter-se hidratado.

Saber qual é o melhor caminhão para começar é o primeiro passo para fazer escolhas mais acertadas. Optando pelo tipo ideal para o trabalho que você realiza, é possível oferecer um serviço de qualidade e atuar com segurança. Além disso, como pudemos ver, existem várias questões que precisam ser planejadas e executadas antes e durante uma viagem.

O que achou deste artigo? Quer continuar acompanhando outros assuntos relacionados à rotina de um caminhoneiro? Então, assine nossa newsletter e fique por dentro das nossas atualizações!