Ser caminhoneiro é um estilo de vida para muitas pessoas. No entanto, por mais prazer que a profissão dê, ela deve ser encarada como um negócio próprio ou corre-se o risco de ter prejuízos nas viagens. Para que isso não aconteça e as margens de lucro dos fretes sejam boas, é importante diminuir os gastos na estrada.

Afinal, o desgaste do caminhão e as despesas necessárias para completar as viagens são os principais custos de um estradeiro. Ao mesmo tempo, são próprios da profissão, não tendo como se livrar deles. Portanto, é preciso saber como economizar, aumentando seus lucros e conseguindo, assim, alcançar os sonhos e objetivos pessoais e familiares.

Por isso criamos este artigo, abordando cada um dos itens que mais pesam no orçamento de um caminhoneiro, para ajudar você a diminuir seus custos e ter uma vida financeira mais tranquila. Não deixe de ler!

Quais são os principais gastos na estrada?

Os gastos na estrada são os maiores custos de um caminhoneiro. Eles englobam todas as despesas necessárias para completar as viagens e entregar as cargas conforme os contratos. Por isso, são determinantes no custo total dos serviços e afetam diretamente a lucratividade do caminhoneiro.

Esses gastos variam conforme a quantidade de viagens feitas, a quilometragem rodada e o tempo total passado na estrada. Também são influenciados pela forma de condução e por boas práticas em relação ao caminhão.

Assim, é importante conhecê-los bem para determinar estratégias de economia no que for possível, de modo a tornar o lucro maior e os valores cobrados pelos fretes mais competitivos. Por isso, confira abaixo as principais despesas de um caminhoneiro na estrada!

Combustível

Segundo uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional dos Transportes — CNT, 46,4% dos caminhoneiros consideravam o custo com combustível um dos entraves da profissão. E em tempos de altas nos preços dos postos, essa despesa pode ficar ainda mais pesada.

Esse gasto, no entanto, é necessário para a profissão. Por isso, é importante saber que algumas atitudes pioram o rendimento do veículo, aumentando consideravelmente o consumo. São elas:

  • ficar parado no trânsito;

  • dirigir ofensivamente (com muitas acelerações e freadas);

  • não cuidar da manutenção preventiva do caminhão;

  • deixar os pneus descalibrados;

  • transportar carga acima do permitido;

  • trafegar em altas velocidades na estrada.

Pedágios

Geralmente, os pedágios não chegam a pesar tanto no orçamento. Mas dependendo do trecho percorrido e da quantidade de carga transportada, o valor pode atrapalhar a lucratividade do caminhoneiro.

Desviar uma rota para um frete adicional pode não compensar pelo custo do pedágio e do combustível, por exemplo. Em outros casos, o valor a ser pago pelo embarcador pode não ser suficiente para dar lucro em um trecho de pedágios caros, sendo necessário completar a carga para fazer a viagem.

Assim, é preciso planejar as rotas com antecedência, calculando os valores que serão gastos nas praças de pedágio. Para isso, pode-se utilizar os sites das concessionárias das rodovias ou mapas online como Google Maps e Maplink.

Alimentação

O gasto com alimentação nas viagens deve, também, ser calculado pelo caminhoneiro. Afinal, é um custo para que a viagem possa ser realizada. Dependendo do trecho, as refeições oferecidas na estrada podem ser caras, e nem sempre levar a própria comida compensa.

Assim, é importante pensar na quantidade de dias necessários para cada viagem e programar-se quanto às paradas. Para isso, pode-se utilizar os mapas online indicados no item anterior, que mostram também uma boa parte dos estabelecimentos, seus horários de funcionamento e preços, e perguntando para colegas sobre os restaurantes ao longo da rota.

Pernoite

O pernoite é sempre uma preocupação para o caminhoneiro. Faltam pontos de parada seguros nas estradas e, por isso, pagar para usufruir das instalações de postos, restaurantes ou estacionamentos é comum. Bem como a hospedagem em hotéis e pousadas. Assim, esse custo também deve ser levado em consideração, pois quanto mais longa for a viagem, maior será o gasto com os pernoites.

Pneus

Da mesma forma que o combustível, os pneus representam um gasto significativo para o caminhoneiro. Para um veículo truckado, por exemplo, são ao menos seis pneus por troca, fora os estepes. Assim, é importante separar um valor mensal para o momento da substituição não pesar no orçamento.

Além disso, é essencial fazer a manutenção preventiva do veículo, mantendo os componentes como freios, suspensão e rolamentos em dia, pois eles influenciam no desgaste dos pneus. Os serviços de alinhamento e balanceamento também devem ser feitos periodicamente, e a calibragem precisa estar sempre de acordo com as recomendações do fabricante.

Manutenção e revisão

O caminhão é a ferramenta de trabalho do estradeiro. Por isso, o cuidado com o “bruto” deve ser em tempo integral. Afinal, qualquer problema pode significar a perda de um frete ou de prazos, e reclamações de clientes. Fora isso, há o prejuízo dos consertos, dos dias parados e, em alguns casos mais graves, dos acidentes causados pela falha mecânica ou quebra.

Assim, apesar do gasto com manutenção ser alto, ele serve como um investimento para o caminhoneiro. Afinal, diminui a depreciação do caminhão mantendo-o o mais próximo possível das condições de fábrica, o que o permite rodar sem problemas e com um consumo baixo, melhorando o desempenho da viagem.

Esses são alguns dos principais gastos na estrada de um caminhoneiro. São itens indispensáveis no seu dia a dia, influenciando nos valores cobrados pelos fretes, na lucratividade e até na capacidade de cumprir suas obrigações. Siga para o tópico seguinte, pois falaremos melhor sobre como isso acontece.

Por que eles impactam nas viagens?

Como vimos acima, os gastos na estrada são próprios do transporte rodoviário de cargas. Dessa forma, impactam na lucratividade do estradeiro que, muitas vezes, prefere cobrar um valor baixo por seus serviços em vez de ficar parado procurando clientes que paguem preços mais justos.

Assim, acaba por praticamente pagar para trabalhar, recebendo ao final das viagens, uma quantia insuficiente para quitar suas contas. Com a persistência desse cenário de lucro baixo, chegará o momento em que o caminhoneiro não conseguirá mais bancar nem os custos da profissão, sendo mais vantajoso vender o caminhão e buscar uma nova colocação no mercado de trabalho.

Portanto, o controle das despesas nas viagens precisa ser rígido se pretende ter uma estabilidade financeira e manter o seu negócio por muitos anos. Além disso, a falta de um planejamento dos gastos leva a uma série de problemas que aumentam os prejuízos para o profissional.

Como a falta de controle dos gastos gera mais prejuízo

O caminhão é um veículo complexo e, por isso, necessita de investimentos altos para manter um bom rendimento. A cada revisão, o caminhoneiro se depara com uma lista de itens para a substituição e de serviços especializados que podem representar uma grande soma em dinheiro.

Assim, sem um planejamento, a manutenção preventiva é sempre adiada, comprometendo o bom funcionamento do “bruto”. Componentes desgastados, além de não terem o mesmo rendimento, exigindo um consumo maior do motor, forçam outras peças, aumentando o problema.

Portanto, não planejar-se financeiramente para cobrir os gastos de manutenção periódica do caminhão traz mais prejuízos, além de tornar as viagens menos seguras. Ainda, os prazos para consertos depois de uma quebra ou falha mecânica são, em média, mais longos do que os necessários para a prevenção. Desse modo, o tempo maior sem trabalhar também gera perdas para o caminhoneiro.

Outro ponto que merece atenção é o gasto com combustível. É importante saber exatamente o impacto dessa despesa no orçamento para tomar atitudes para diminuí-la, acompanhando seus números e vendo o progresso. Caso contrário, o caminhoneiro pode querer optar por postos mais baratos como alternativa para economizar.

A pesquisa de preços é fundamental. No entanto, valores que fogem muito dos praticados pelo mercado indicam queda da qualidade e até mesmo fraude nos combustíveis. Dessa forma, o caminhão será abastecido com diesel ou gasolina ruins que, além de piorarem o desempenho do veículo, aceleram a deterioração dos componentes do motor.

Como deu para perceber, os gastos na estrada impactam no desempenho das viagens e, sem um controle, podem gerar mais prejuízo. Por isso, todo caminhoneiro precisa fazer um planejamento financeiro. Quer saber como fazer o seu? Então siga para o próximo tópico!

Como fazer um planejamento financeiro eficiente?

Um planejamento eficiente permite ao caminhoneiro conhecer melhor sua situação financeira e a rentabilidade de seu negócio. Ao listar suas despesas, o profissional é capaz de entender quais atitudes e situações causam maior impacto no orçamento. Também possibilita se programar para que os pagamentos das revisões, das trocas de pneus, dos impostos e até da compra de um caminhão novo sejam suavizados ao longo dos meses trabalhados.

Já no lado pessoal, é importante para organizar o tempo, programando os períodos de férias e os descansos semanais. Também serve para planejar os gastos maiores, como a compra de móveis novos, eletrodomésticos e automóveis, ou o pagamento dos estudos dos filhos, de passeios e de viagens com a família.

Por esses motivos, o planejamento financeiro para caminhoneiro é essencial para seguir na profissão. Saiba como fazê-lo com as nossas dicas abaixo!

Conheça seu orçamento em detalhes

O orçamento é composto das despesas e do faturamento. Conhecer todos os itens que formam cada uma das duas categorias é essencial para um maior controle dos gastos e da lucratividade.

Assim, monte uma planilha financeira com os dados mês a mês, separando as despesas entre as fixas (como impostos, prestação do caminhão, seguro, verba para manutenção preventiva e revisões programadas) e as variáveis (alimentação, combustível, pedágios, por exemplo). Já o faturamento é o montante relativo aos serviços prestados.

Para calcular a verba para as manutenções, divida o valor gasto pela quantidade de meses da periodicidade. Por exemplo: um gasto de R$ 6.500 para a troca de pneus, necessária a cada 13 meses, requer uma verba de R$ 500 por mês separada para esse fim.

Separe as despesas pessoais das profissionais

Jamais misture as contas pessoais no orçamento profissional. Lembre-se: ser caminhoneiro é ter um negócio próprio, que precisa ter saúde financeira. As despesas pessoais devem ser pagas com seu lucro líquido, ou seja, o montante que sobra depois de separados todos os custos dos serviços e do caminhão, mais as verbas destinadas a gastos futuros.

Calcule seu custo médio por quilômetro rodado

Calcular o custo do quilômetro rodado ajudará a estimar melhor os valores que devem ser cobrados pelos serviços, além de mostrar o quanto será preciso viajar para alcançar determinado valor de lucro líquido.

Para efetuar o cálculo, basta somar todas as despesas relacionadas às viagens no último mês e dividir pela quantidade de quilômetros rodados no mesmo período. É interessante fazer essa conta todos os meses para ter valores atualizados, já que os preços dos produtos variam.

Defina metas e objetivos pessoais

Os objetivos devem ser estipulados sempre em família, com a concordância de todos, se for o caso. Estipulem projetos e sonhos em comum ou pessoais, e separe-os em curto prazo (como a compra de eletrodomésticos novos, pequenas reformas e passeios de fim de semana) e longo prazo (como viagens de férias, a compra de um imóvel novo, de um carro ou uma poupança para a faculdade).

Calcule a quantia mensal necessária

Faça cotações dos preços de cada objetivo e defina uma data para concretizá-los. Depois, divida os valores pela quantidade de meses desse prazo para saber a verba que será necessária. Essa etapa é importante para definir se as estimativas de tempo estão realistas ou se será preciso estabelecer novas metas.

Crie uma conta poupança ou faça um investimento específico para depositar o dinheiro mensal dirigido aos objetivos familiares.

Cobre um valor justo pelos fretes

Nenhuma dessas dicas terá muito valor se não forem cobrados preços justos pelos fretes. Trabalhar com valores abaixo do mercado para ganhar clientes é uma prática desesperada que não se sustenta por um período mínimo. Além disso, os preços precisam cobrir todas as despesas, os custos do caminhão e ainda sobrar dinheiro para pagar as contas pessoais e investir nos objetivos futuros.

Portanto, fuja de práticas como guerra de preços e de embarcadores que não valorizam a profissão. Prefira diversificar os clientes e os serviços, oferecendo sempre um atendimento cordial e eficiência no transporte, além de aumentar o controle sobre seus gastos.

A redução dos custos de viagem aumenta os lucros do caminhoneiro e permite que ele pratique preços mais competitivos nos seus fretes. Mas você sabe como diminuir as despesas na estrada? Siga para o tópico seguinte e leia algumas dicas valiosas!

Dicas para economizar na estrada

Cortar gastos é sempre uma boa meta para qualquer negócio, principalmente para os de pequeno porte ou individuais, como é o caso dos caminhoneiros. Mas é preciso fazer isso de tal maneira que a qualidade dos serviços não seja perdida e nem sejam necessários sacrifícios pessoais do profissional.

Assim, o melhor modo é aumentar a eficiência nas viagens, fazendo com que sejam menos custosas, e que o caminhão tenha um desempenho melhor, o que ajuda, também, a aumentar o faturamento.

Por isso, separamos abaixo algumas dicas de economia para caminhoneiros, abordando estratégias para reduzir as principais despesas na estrada. Confira!

Faça a manutenção preventiva do caminhão

De acordo com levantamento do Instituto de Qualidade Automotiva — IQA, a manutenção preventiva, quando feita regularmente, é no mínimo 40% mais barata do que a corretiva, feita somente quando o problema aparece. Isso acontece porque são trocadas peças desgastadas e fluidos antes de apresentarem falhas.

Se não for feita corretamente, um componente ruim acaba tendo impacto em outras peças, forçando-as e diminuindo sua vida útil. Além disso, pode ser a causa de acidentes de trânsito e outros sinistros, como quebras mecânicas no meio das viagens e até tombamento de carga.

Utilize apenas peças originais como prevenção

O caminhão é um veículo muito complexo, projetado para funcionar por longos períodos e levando muita carga. Portanto, qualquer peça fora dos padrões de durabilidade, funcionamento ou dimensões pode impactar em um conjunto de componentes, piorando o desempenho do veículo e aumentando o desgaste.

Assim, o mais indicado é sempre utilizar peças originais. Apesar de exigirem um investimento um pouco maior, elas compensam financeiramente por durarem mais, apresentarem menos problemas e manterem a eficiência e vida útil do veículo nos parâmetros ideais.

Faça revisões em concessionárias

Pela complexidade da mecânica e elétrica dos caminhões, o ideal é somente fazer revisões em concessionárias. Afinal, é nesses estabelecimentos que serão encontrados os melhores profissionais, especializados no modelo do veículo, e as ferramentas e equipamentos certos para a execução dos serviços.

Dessa forma, o tempo de parada é menor e a eficácia da manutenção é garantida, diminuindo a necessidade de retornos e a probabilidade de problemas durante as viagens.

Planeje suas viagens

Por último, planeje as rotas de cada viagem, utilizando os mapas online citados neste artigo, para encontrar os restaurantes mais em conta e programar os abastecimentos em postos confiáveis e de bons preços.

Além disso, é importante ficar atento aos pedágios e trechos problemáticos (com trânsito carregado, muitas subidas, curvas, asfalto danificado ou obstáculos como lombadas e quebra-molas) para escolher os melhores caminhos e horários. Dessa forma, economiza-se combustível e tempo de viagem.

Essas são algumas dicas de atitudes que têm impacto positivo no orçamento de um caminhoneiro. Adotá-las é um passo importante para a boa saúde financeira do negócio e traz uma série de benefícios para a vida pessoal e familiar do freteiro. Quer saber quais são eles? Então siga para o próximo tópico!

Benefícios ao evitar gastos desnecessários na estrada

Como já foi dito, a economia sobre os gastos na estrada, conquistada com o aumento da eficiência nas viagens e eliminando despesas desnecessárias, resulta em melhora nas margens de lucro, diminui o tempo necessário em cada frete e aumenta a disponibilidade do caminhão.

Dessa forma, é possível praticar preços mais competitivos e ter aumento na produtividade. Com mais serviços e maiores margens, sobra mais dinheiro no final de cada mês, permitindo a melhora na qualidade de vida e a concretização dos sonhos da família.

Abaixo, detalhamos alguns benefícios que a maior lucratividade pode trazer para a vida pessoal e profissional do caminhoneiro. Confira!

Organizar as finanças

Ao diminuir os custos do seu serviço, fica mais fácil fechar o mês com as contas bancárias no azul. Assim, torna desnecessário utilizar linhas de crédito caras, como cheque especial ou o rotativo do cartão de crédito, e possibilita pagar boletos e impostos em dia, eliminando os gastos com juros e multas.

Também permite que o caminhoneiro quite suas dívidas e deixe seu nome limpo, facilitando a compra futura de um imóvel ou a troca do caminhão por um modelo novo.

Ter uma reserva para o momento que precisar

O dia de amanhã é sempre incerto, principalmente para quem tem um negócio próprio. Por isso, é importante poupar uma parte dos ganhos para momentos difíceis, que atrapalhem os rendimentos ou o impeçam de trabalhar, como uma doença, um acidente ou mesmo um período de baixa demanda.

Com lucros maiores, uma quantia razoável pode ser guardada todo mês para aumentar a segurança financeira da família.

Conseguir a tão sonhada estabilidade financeira

Nada é mais valioso do que a tranquilidade de pagar as contas em dia, ter sempre a geladeira cheia e poder dar à família uma boa qualidade de vida. Além disso, o caminhoneiro precisa ser estável financeiramente para não deixar de trabalhar por falta de investimento na manutenção do caminhão ou de verba para abastecer o tanque de combustível.

Essa segurança, de ser menos dependente das variações do mercado e não ser tão afetado por eventualidades, é conquistada ao aumentar sua eficiência e competitividade.

Fazer investimentos

Tendo menos gastos na estrada, será possível separar uma parcela do lucro para fazer investimentos, em aplicações que renderão juros e facilitarão alcançar tanto objetivos pessoais ou familiares quanto uma aposentadoria mais tranquila.

Há uma variedade de opções de investimentos, desde consórcios para a compra de um caminhão mais moderno, fundos conservadores como a poupança e o CDB, até papéis negociados na bolsa de valores. Tudo dependerá do valor, do prazo de aplicação e dos seus objetivos.

Como vimos, diminuir os gastos na estrada é essencial para todo caminhoneiro, pois aumenta sua lucratividade e melhora sua competitividade para conseguir mais clientes e serviços. Trabalhando mais e com margens maiores, sobra dinheiro no final do mês para investir no negócio ou em uma vida mais tranquila com a família.

Gostou das nossas dicas? Então comece agora mesmo a fazer seu controle financeiro com nossa planilha de gastos!