Uma das maiores dificuldades da vida de caminhoneiro autônomo é conseguir um faturamento que seja suficiente para pagar todas as contas e, ainda, proporcionar boa qualidade de vida para si e a sua família. Assim, saber como ganhar dinheiro com caminhão, conhecendo todas as possibilidades do mercado, é essencial para se manter na profissão.

Afinal, trabalhar com o transporte de mercadorias e fretes de todos os tipos pelas rodovias brasileiras não é fácil. Especialmente em momentos de crise econômica, as dificuldades nas estradas aumentam os custos das operações e o esfriamento dos negócios no país faz com que os serviços diminuam e a concorrência aumente, jogando os valores dos fretes para patamares muito baixos.

Portanto, um caminhoneiro precisa conhecer todas as possibilidades existentes no mercado para aumentar o seu faturamento. E, por isso, separamos abaixo as maneiras mais inteligentes de ganhar dinheiro com o caminhão e outras dicas para se dar bem atuando na profissão! Não deixe de ler!

1. As oportunidades para ganhar dinheiro com um caminhão

Quando um caminhoneiro é autônomo, é ele o responsável por gerenciar a sua carreira e, digamos, o seu negócio próprio. Portanto, é, também, o encarregado de conseguir uma quantidade de serviços – e negociar um preço justo – para que o faturamento seja suficiente para pagar as suas contas e bancar os seus objetivos pessoais e familiares.

Por isso, todo profissional precisa saber das possibilidades que o seu caminhão abre para a prestação de serviços, conhecer aplicativos que facilitam o seu trabalho, além de outras alternativas para aumentar a produtividade e, consequentemente, a renda no final de cada mês.

Em épocas de concorrência alta e desvalorização dos fretes, quanto mais opções para sair do lugar-comum, melhor. Portanto, confira abaixo nossas dicas de oportunidades para aumentar o seu faturamento com o caminhão:

1.1. Utilizar aplicativos de frete

Para os caminhoneiros autônomos, é muito difícil disputar com a capacidade de marketing e propaganda das grandes empresas de transporte. Por isso, o melhor é poder enviar propostas para os embarcadores, sem precisar esperar que eles entrem em contato pedindo orçamentos diretamente.

A boa notícia é que, hoje em dia, ficou mais fácil. Diversos aplicativos para smartphone já fazem esse trabalho de juntar embarcadores a transportadores autônomos. São plataformas nas quais o cliente oferece uma carga a ser transportada, com data, hora e local, e recebe ofertas dos prestadores de serviço.

Assim, caminhoneiros de todo o país têm acesso a uma variedade de clientes sem precisar investir em propaganda ou se preocupar em ter uma equipe de atendimento e vendas.

Basta ter um smartphone, baixar o aplicativo e se cadastrar para poder enviar ofertas de valores aos fretes escolhidos.

1.2. Agregar o caminhão

Para quem possui um caminhão próprio e quer ter um pouco mais de estabilidade financeira, é possível agregar o seu veículo a uma empresa transportadora. Esse tipo de contrato possui algumas particularidades que podem ser vantajosas para o profissional autônomo.

A primeira delas é ter uma quantidade de serviços praticamente garantido, já que a transportadora agregará somente a quantidade de caminhões necessária e suficiente para dar conta do volume de negócios da empresa. Isso traz maior estabilidade, pois o caminhoneiro fica menos suscetível às oscilações do mercado e à guerra de ofertas com outros autônomos.

No entanto, o valor dos fretes e a quilometragem rodada são fixos, além disso, há a exigência do cumprimento de uma carga horária preestabelecida. O que não impede que o caminhão seja utilizado nas horas vagas para complementar a renda.

Para ser um agregado, é preciso estar com a manutenção do veículo em dia e as documentações, tanto automotiva quanto pessoal, em ordem, não havendo restrições de dívidas públicas ou privadas. Dependendo da empresa, há outras exigências como o tipo de caminhão, cursos de especialização e até idade do veículo.

1.3. Transportar cargas perigosas

O transporte de cargas perigosas constitui em fretes de mercadorias que possam oferecer riscos à saúde das pessoas, à segurança pública e ao meio ambiente, como os produtos inflamáveis, tóxicos, químicos, radioativos, gás natural, armas e explosivos.

Pela complexidade e especificidade do transporte, os fretes desses produtos costumam ter maior valor agregado, apresentando margens de lucro maiores para o caminhoneiro. No entanto, para entrar no mercado de cargas perigosas é preciso cumprir uma série de exigências da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).

O veículo precisa ser adequado ao tipo de produto transportado, ser limpo e descontaminado regularmente, portar avisos e sinalização, e ser equipado com equipamentos de emergência compatíveis com os riscos da carga.

Além disso, é preciso ter o Certificado de Inspeção para o Transporte de Produtos Perigosos (CIPP) e o Certificado de Inspeção Veicular (CIV), ambos emitidos pelo Inmetro.

Se quiser conhecer mais falamos exclusivamente sobre esse assunto no link: Transporte de Cargas Perigosas. 

1.4. Conseguir fretes de retorno

Para melhorar o seu faturamento, é importante que o caminhoneiro aumente a eficiência de suas viagens, não perdendo a oportunidade de utilizar espaços vazios no implemento. Dessa forma, a margem de lucro é melhorada, já que os custos podem ser diluídos em mais entregas.

Por isso, é interessante que o profissional tenha sempre um frete de retorno para ajudar a pagar as despesas e aproveitar a viagem de volta ao lar para ganhar uma grana extra. Para isso, utilize os aplicativos de frete, pegando serviços compatíveis com as datas de chegada e partida do destino.

No entanto, é importante ter um bom planejamento da viagem para que as rotas e os horários sejam cumpridos com rigor.

1.5. Diversificar os serviços

Muitos caminhoneiros especializam-se em um tipo de carga e se esquecem de outras possibilidades que o seu caminhão pode oferecer. Em um momento de baixa nos valores dos fretes e alta concorrência no mercado, vale a pena conferir outros serviços que podem ser realizados para complementar a renda.

Um caminhão-baú, por exemplo, pode ser utilizado em mudanças residenciais, bastando que o profissional tenha cuidado para arrumar pessoal de confiança que auxilie nas embalagens e no deslocamento da carga. Além disso, é preciso procurar por locais adequados de armazenamento, para o caso de a entrega não ser possível na data em que o caminhão chegar ao destino.

Já um graneleiro, pode ser utilizado em carretos e transporte de produtos que não necessitem de muita proteção contra as intempéries do clima, como peças e maquinário leve ou materiais de construção.

Saber as possibilidades e oportunidades disponíveis no mercado para aumentar o faturamento e complementar a renda é importantíssimo para o caminhoneiro autônomo sobreviver a um cenário cada vez mais concorrido. Para isso, é necessário escolher um caminhão que atenda às suas necessidades e não se torne um problema no futuro. No próximo tópico, daremos algumas dicas de como escolher o veículo ideal para o seu caso. Confira!

2. Saiba como escolher um caminhão para você

Há uma grande variedade de tipos de caminhões e, em cada um deles, uma série de modelos de diversas fabricantes. A escolha do veículo ideal influenciará nos custos de operação, no gênero da carga que será transportada e até no conforto do caminhoneiro durante as viagens.

Por outro lado, é importante que o profissional leve em consideração, também, o custo de aquisição, conferindo se possui o valor da entrada e se as prestações mensais não ficarão muito altas, pois essa quantia precisará ser compensada com um faturamento maior.

Assim, separamos abaixo algumas dicas para comprar o caminhão ideal para você, que seja eficiente para o trabalho e confortável para dirigir. Veja:

2.1. Pense no tipo de serviço a ser prestado

É preciso, antes de pensar em qual modelo de caminhão comprar, escolher um tipo de serviço e de carga a ser transportada. Só então será possível saber qual a categoria do veículo necessária. Os tipos mais comuns de caminhões e as suas cargas são:

  • caminhões baú: transportam cargas secas soltas, mudanças residenciais e produtos que necessitem de proteção;

  • graneleiros: levam cargas a granel que não precisam de embalagem, como cereais, grãos e fertilizantes;

  • caminhões tanque: usados para o transporte de líquidos tanto os não-perigosos (água, leite e sucos a granel) como os perigosos (produtos químicos, gasolina e outros derivados de petróleo, gás);

  • caminhões refrigerados: necessários para o deslocamento de cargas perecíveis e que necessitam de cuidados de acondicionamento;

  • caminhões tipo VUC: o Veículo Urbano de Carga (VUC) é uma classificação criada pela Prefeitura de São Paulo (SP) para caminhões com dimensões reduzidas que podem rodar dentro da cidade. Se o objetivo for fazer transporte urbano de mercadorias, é importante observar as regras de restrição de cada cidade.

2.2. Escolha entre novo ou usado

Tanto a compra de um caminhão novo como a de um usado possuem vantagens e desvantagens que vão depender da situação do caminhoneiro e do uso que será feito do veículo.

2.2.1. Vantagens e desvantagens de um caminhão novo

Um caminhão novo possui a garantia de fábrica contra qualquer defeito que venha a apresentar em seu funcionamento e conta com um programa de revisões na concessionária. Além disso, estão equipados com o que há de mais atual em tecnologia, tornando a sua operação mais econômica e menos poluente. Há, ainda, a certeza de que as suas peças originais estão em perfeito estado de conservação.

No entanto, o seu preço pode ser bastante elevado e a depreciação do veículo é mais rápida nos primeiros anos. Essa depreciação pode ser compensada com a necessidade menor de trocas de peças e manutenções.

2.2.2. Vantagens e desvantagens de um caminhão usado

Comprar caminhões usados pode ser uma alternativa atraente, pois o veículo já sofreu a depreciação de sair da concessionária e ter um dono e, portanto, exigirá um investimento menor comparado a um novo com as mesmas especificações. Em alguns casos, pode-se comprar um usado que ainda conte, inclusive, com garantia de fábrica.

Porém, não é possível saber a procedência das peças utilizadas nas manutenções nem o estado de conservação exato do veículo, sendo necessário um cuidado maior na compra. Além disso, um caminhão usado pode já estar obsoleto em relação à tecnologia de desempenho e eficiência.

2.3. Confira as especificações do modelo

As especificações de desempenho do modelo influenciam diretamente na economia e na performance do veículo nas viagens, podendo contribuir para torná-las mais baratas e mais rápidas. Assim, é interessante pensar nas rotas que serão percorridas e escolher um modelo com especificações mais adequadas.

Se o uso for estritamente urbano, é possível a compra de um veículo mais econômico e menos potente. Já para rodovias e viagens longas, é preciso um caminhão com bom desempenho em velocidade e boa capacidade de armazenamento de combustível. Se houver trechos de serra, comuns em rotas do litoral para o interior do país, um motor com bastante potência é essencial para vencer os aclives e as curvas mais fechadas.

2.4. Faça a compra em uma concessionária

A compra em uma concessionária traz uma série de vantagens para o caminhoneiro, como a segurança de que o veículo adquirido está em bom estado, seja ele novo ou usado. Isso porque as concessionárias fazem uma boa revisão nos usados antes de colocá-los à venda e certificam-se de que a documentação está em ordem.

Além disso, elas oferecem alguns benefícios como garantia estendida, programa de manutenção periódica e até assistência 24 horas aos veículos vendidos, que inclui serviço de guincho e socorro mecânico para o caminhoneiro que adquirir a proteção.

A concessionária é, também, a responsável por realizar o programa de revisões da fábrica, mantendo a garantia do caminhão novo. Assim que funciona é um estabelecimento confiável, com pessoal especializado na manutenção de caminhões, ferramentas e equipamentos adequados, para que o proprietário recorra em caso de algum problema mecânico.

2.5. Não se esqueça do test drive

Por último, após escolher o modelo ideal para os seus serviços, é preciso fazer um test drive para ter a certeza de que o caminhão possui o conforto e o desempenho esperados. Somente dirigindo o veículo será possível perceber como o motor reage aos seus comandos, a qualidade dos acessórios e se a ergonomia da cabine é compatível com a sua postura de direção etc.

Para veículos usados, o test drive também é importante para notar se não há algum problema ou mau funcionamento de algum componente. Como dissemos, se a compra for feita em uma concessionária, a probabilidade de isso acontecer é menor.

Escolher o caminhão ideal para as suas necessidades é o primeiro passo para conseguir trabalhar com eficiência no ramo de transporte de cargas escolhido e conseguir bons resultados nas estradas, com conforto e economia de combustível.

Porém, é imprescindível ter atenção na manutenção do veículo para manter as suas características de funcionamento e desempenho. Siga para o próximo tópico, pois abordaremos os cuidados com o caminhão essenciais para mantê-lo em bom estado.

3. Saiba como manter o seu caminhão

Um caminhão é uma máquina com mecânica e elétrica complexas, cada vez mais incorporando tecnologias que melhoram o seu desempenho e a sua eficiência energética. Isso torna a sua operação mais barata e mais limpa, emitindo menos poluentes. No entanto, exige um cuidado maior em sua conservação, já que um pequeno problema pode influenciar em outros componentes.

Assim, para que um detalhe não se torne motivo para um conserto, exigindo uma parada longa e deixando-o indisponível, é necessário que o caminhoneiro mantenha a sua manutenção em dia. Além disso, é preciso cuidar do veículo para manter o seu conforto, a funcionalidade de seus acessórios e diminuir a depreciação, resultado do uso contínuo.

Confira abaixo nossas recomendações para manter o caminhão em dia e valorizado:

3.1. Faça manutenções preventivas

A manutenção preventiva sai, em média, 30% mais barata do que manter o caminhão funcionando com consertos e reparos somente quando há quebras e mau funcionamento de componentes. Isso acontece porque a prevenção atua para não deixar que pequenos problemas evoluam para outras peças e sistemas e mantém em ordem os fluidos e partes de desgaste, essenciais para a conservação e o funcionamento adequado de sua mecânica e elétrica.

Além disso, evita acidentes causados por falhas, outros problemas de falta de manutenção e contribui para deixar o caminhão valorizado e manter o seu desempenho. Afinal, peças no fim de sua vida útil tendem a exigir mais esforço dos outros componentes, desgastando-os e diminuindo a sua eficiência no consumo de combustível.

Portanto, faça vistorias antes e no final de cada viagem, observando as condições de conservação da parte elétrica, dos pneus e freios, da quinta-roda, das luzes das lanternas e faróis, da suspensão e até das palhetas e esguichos do limpador de para-brisa.

No mais, siga as recomendações de manutenção do manual do proprietário do caminhão para as substituições de óleo lubrificante, filtros, correias e outras partes de desgaste. Aproveite as paradas para fazer revisões completas com profissionais especializados.

3.2. Cuide da limpeza e da conservação da lataria

Lavar o caminhão não é apenas uma questão de estética. É também de conservação, pois a sujeira acumula água e detritos que queimam o esmalte da pintura e auxiliam no processo de oxidação do metal da lataria. Principalmente barro, areia e dejetos de pássaros são extremamente nocivos.

Já em relação a pequenos amassados e arranhões na pintura, é importante arrumá-los assim que puder, pois são pontos desprotegidos, nos quais o esmalte da pintura foi rompido, sendo mais suscetíveis às ações do tempo e da poluição.

Ainda, um amassado na lataria modifica a distribuição de peso e a aerodinâmica do caminhão. Pode não parecer muito, mas em uma viagem longa, isso pode representar alguns reais a mais em combustível, gastos desnecessariamente.

3.3. Mantenha a cabine organizada

Para que a viagem não fique cansativa e desconfortável para o caminhoneiro, é preciso manter a cabine organizada e limpa. Além disso, é um dos pontos que mais desvalorizam o veículo em uma eventual revenda, pois nenhum profissional quer passar grande parte de sua vida em um ambiente em mau estado de conservação, aspecto ruim e cheiro pior ainda.

Portanto, separe a documentação e deixe-a em uma pasta específica, jogue o lixo sempre em um saco reservado para o fim, deixe as roupas sujas separadas das limpas em um cesto (seque-as ao sol antes, para tirar o mau cheiro), use um aspirador de pó e um pano umedecido com água para tirar a poeira e evite fazer as suas refeições dentro da cabine.

3.4. Use somente peças originais

A mecânica complexa de um caminhão foi projetada para funcionar com as suas peças originais em conjunto, nas suas especificações e seguindo padrões rígidos de durabilidade, desempenho e dimensões. Qualquer mínima diferença nesses parâmetros pode acarretar em aumento de esforço em outros componentes, contribuindo para acelerar o desgaste das peças.

Além disso, peças paralelas, apesar de geralmente serem mais baratas, não compensam financeiramente, pois a sua durabilidade é menor, necessitando de mais trocas. Também são mais suscetíveis a quebras, o que leva a danos em outros componentes, prejuízos com serviços de conserto e dias parados, e pode ocasionar acidentes.

Portanto, para manter o seu veículo sempre funcionando, com desempenho ideal e segurança, utilize apenas peças originais nas suas manutenções.

3.5. Dirija defensivamente

A direção defensiva é a maneira mais eficaz de evitar acidentes, conservar o veículo e, ainda, diminuir os custos de operação. Afinal, ao seguir as regras de trânsito, prever movimentos dos outros motoristas e redobrar a atenção no trânsito e ao funcionamento do caminhão, a possibilidade de ser pego de surpresa e se envolver em uma colisão é bem menor.

Ainda, manter a velocidade mais baixa do que o limite diminui o arrasto provocado pela resistência do ar, o que ajuda a economizar combustível. Da mesma forma, ao antecipar frenagens, diminuindo a aceleração e utilizando o freio motor, a energia gerada pela queima do combustível é mais bem aproveitada no movimento, minimizando o desperdício nos freios e em acelerações desnecessárias.

Por isso, mantenha sempre uma distância de segurança dos veículos da frente, respeite a sinalização e os limites de velocidade e utilize ao máximo o freio motor que, nos caminhões com injeção eletrônica, corta o fornecimento de combustível para o motor, aproveitando o movimento para mantê-lo funcionando.

Como vimos, saber como ganhar dinheiro com caminhão é essencial para o profissional que quer ter sucesso em um mercado competitivo e de preços defasados dos fretes. Para isso, é importante conhecer as possibilidades que o veículo proporciona, melhorar o seu faturamento diversificando clientes e serviços e, ainda, tomar atitudes para ser mais eficiente nas viagens e economizar em manutenção e combustível.

Gostou de nossas dicas? Quer saber mais sobre como cuidar bem do seu caminhão? Então baixe agora nosso e-book e aprenda a prolongar a vida útil do seu veículo!