Por ano, milhares de vítimas de acidentes no trânsito — sejam nas rodovias ou cidades — morrem no Brasil. E o número de vidas perdidas é assustador, e chega até ser maior do que o número de civis que morrem em conflitos armados como a Guerra no Iraque.

Nesse contexto, é importante ressaltar que um número considerável desses acidentes seria evitado caso os motoristas de carretas e caminhões fizessem manutenção preventiva em sua frota.

O mais interessante é que, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Scaringella Trânsito, cerca de 30% das mortes nas estradas seriam evitadas caso os caminhões envolvidos nos acidentes tivessem passado por revisão prévia. Esse dado comprova o quanto a manutenção dos caminhões é importante.

A mesma pesquisa realizada pelo Instituto também apontou que a manutenção de veículos de passeio e caminhões não apenas evita vítimas no trânsito, como também é sinônimo de economia para os motoristas. Segundo o levantamento, há redução de até 30% das despesas se o veículo passa por revisão periódica.

Ou seja, o custo para realizar a manutenção é bem inferior ao gasto anual com troca de peças e ajustes imprevisíveis, que podem aparecer quando menos espera.

Prova disso é que a folga que pode ocorrer no terminal de direção é suficiente para acelerar o processo de desgaste dos pneus e, consequentemente, provocar maior resistência do caminhão na pista. Com isso, o gasto de combustível acaba sendo maior, o que, sem dúvida, nenhum motorista deseja.

Quer conhecer um pouco mais sobre os benefícios da manutenção preventiva? Então acompanhe nosso post e aprenda como aliar economia e segurança para sua frota.

Afinal, o que á manutenção preventiva?

A manutenção preventiva nada mais é que um diagnóstico minucioso do estado de conservação de seu caminhão. Além disso, envolve os reparos e solução de imperfeições e falhas detectadas nesse diagnóstico.

É uma função executada por especialistas em cada área do seu veículo, de forma técnica. Além disso, utiliza as últimas inovações tecnológicas do setor automobilístico para detectar problemas com antecedência.

Dessa forma, constitui uma intervenção prévia sendo realizada e preparada antes que ocorra qualquer falha, ou seja, é uma forma de inspeção com o objetivo de evitar que essas falhas apareçam.

É justamente nesse ponto que a manutenção corretiva é diferente da manutenção preventiva. Afinal, a corretiva, como o próprio nome já menciona, constitui na substituição de alguma peça ou remendo de emergência realizada após verificar que há instabilidade do veículo. Assim, além de mais cara, a manutenção corretiva também traz maior risco ao condutor.

Reflita: você teria coragem de ser submetido a um procedimento cirúrgico que não fosse conduzido por um cirurgião, formado em medicina? Então por que entregar seu caminhão nas mãos de um profissional não capacitado?

Então, você já sabe o quanto é importante a revisão periódica. No entanto, não é seguro levar seu caminhão às pessoas que aprenderam no improviso como realizar a manutenção corretiva de veículos. Afinal, a tecnologia avançada que envolve o funcionamento dos caminhões e carretas exigem grandes conhecimentos em engenharia mecânica e mecatrônica.

Dessa forma, para que seu veículo seja avaliado da melhor forma possível, é importante que você conte com o serviço de experts na área. Apenas esse tipo de profissional, que geralmente trabalha em autorizadas, possui capacitação para as particularidades do funcionamento de cada tipo específico de caminhão.

É necessário lembrar também que a manutenção de uma frota vai além de apenas fazer a troca de filtros e óleo. A manutenção de caminhões e carretas também envolve a checagem de vários aspectos como por exemplo:

  • parafusos e porcas;

  • terminal de direção;

  • lubrificação;

  • condição do sistema elétrico;

  • sistema de transmissão.

Portanto, a manutenção preventiva é um check-up minucioso e completo que assegura o funcionamento em dia da sua frota. Evitando eventuais acidentes no trânsito e garantindo a economia com a manutenção de seu veículo.

Quando o caminhão deve ser revisado?

A manutenção preventiva de sua frota é primordial afinal isso vai garantir sua segurança e também vai evitar que ocorram problemas na estrada.

Antes de tudo, é interessante investir na manutenção preventiva. Afinal, esta é uma maneira eficaz de antecipar problemas que seu caminhão terá futuramente e, obviamente, evitá-los.

Além disso, há muitos problemas nos veículos que não são muito perceptíveis, assim a manutenção preventiva ajuda a identificar algumas dessas alterações antes que eles apareçam de forma pior e comprometa a viagem.

Nesse contexto, a cada X mil quilômetros percorridos deve ocorrer a revisão de sua frota, esse número deve ser encontrado no manual do fabricante do seu caminhão. E, durante a inspeção, devem ser avaliados o eixo traseiro e a caixa de câmbio, isso sem contar muitos outros componentes tais quais os cubos das rodas (peça muito exigida no caso de veículos pesados).

Também é importante verificar a qualidade de filtros e óleos, já que podem acarretar perda do motor. E, claro, certificar do bom funcionamento do freio motor bem como o balanceamento e alinhamento de direção das rodas.

Em relação aos freios, a durabilidade vai depender do tipo de carga transportada e das características de condução, porém, no caso da utilização da direção defensiva, a durabilidade pode chegar a até 50%.

Segundo especialistas, o ideal é sempre utilizar o freio da carreta (mais conhecido como maneco) antes de usar o freio do cavalo, para prever a próxima operação, associada à redução de marcha no momento certo.

Como saber se o caminhão precisa ser revisado?

O ideal é que seu caminhão passe por uma revisão preventiva periodicamente, conforme indica os fabricantes. Mas, caso isso não tenha sido feito, é importante saber identificar alguns sinais de que o veículo pode estar com algum defeito e necessita de uma avaliação o quanto antes.

Quais são esses sinais. Confira a seguir.

Fumaça saindo do motor

Na maioria das vezes, constatamos que há uma fumaça suspeita que pode sair do escapamento, mas, geralmente, não damos muita importância por esperar que não seja nenhum problema grave.

Porém, qualquer fumaça que apareça repentinamente pode ser um sinal de que algo não está funcionando bem. Logo, caso isso ocorra, não espere que o pior aconteça, então procure um profissional capacitado que possa realizar uma avaliação completa de seu veículo.

É importante também reparar na cor da fumaça que sai do caminhão. Afinal, não é somente a fumaça escura que pode apontar algum problema no veículo. A fumaça tanto cinza azulada quanto branca podem indicar que o motor encontra-se em más condições térmicas, entrada de óleo desregulada ou até disfunções de catalisador.

Sempre preste atenção no óleo

A troca periódica de óleos é essencial. Porém, é importante também ficar atento ao aspecto e à coloração do óleo que está saindo.

Isso porque se o óleo retirado apresenta muitos resíduos e sujeiras, pode ser um alerta de que há algum tipo de atrito irregular com os ímãs presentes no motor do veículo, principalmente se forem resíduos metálicos.

E caso você note essa alteração, também é preciso que um profissional avalie o caminhão para verificar o que está ocorrendo.

Fique em alerta quanto aos barulhos na marcha do câmbio e freios

As irregularidades ou ruídos no câmbio de caminhões são outros detalhes que podem passar sem que ninguém note no dia a dia. Essas alterações podem indicar algum problema grave na marcha como defeitos na transmissão.

Por isso, caso você perceba algum tipo de mudança ao manusear o câmbio ou até mesmo escute sons anormais ao trocar a marcha, o mais indicado é sempre procurar algum profissional.

Também fique atento à ruídos diferentes do habitual quando for acionar o freio, e certifique-se que não há alterações no sistema de frenagem. Esses barulhos anormais podem esconder vários problemas que se relacionam não só com esse sistema, mas também podem estar ligados a catracas desreguladas e pastilhas desgastadas.

Ouça as recomendações do fabricante

Sempre siga as instruções que o fabricante recomendar. Só assim é possível ter o melhor desempenho e aproveitamento de seu veículo.

Além disso, seguir todas as recomendações à risca é a melhor maneira de conservar o caminhão, assegurando uma durabilidade maior.

Utilize sempre peças genuínas

Quando for substituir ou trocar qualquer peça, sempre prefira produtos originais, com a garantia do fabricante do seu caminhão.

Apenas assim você terá a segurança de que está adquirindo peças de qualidade e procedência.

Mantenha-se em alerta para os pneus

Pneus cantando com regularidade pode indicar desgaste ou outro tipo de problema. Para tanto, sempre faça a manutenção de pneus e rodas.

Caso comece a ouvir pneus cantando sem apresentar qualquer tipo de desgaste, procure novamente um profissional que seja capacitado a identificar a alteração e corrigi-la.

Afinal, qualquer som anormal vindo dos pneus ou de outra parte do carro pode ser um sinal de que alguma peça não está funcionando do jeito que deveria e, por isso, deve ser identificado o quanto antes a fim de evitar acidentes e prejuízos maiores.

Outro problema comum dos pneus é seu desgaste irregular, principalmente em caminhões pesados ou que transportam grande quantidade de carga. Isso pode ser um dos primeiros indícios que seu caminhão precisa da vistoria de um técnico para realizar balanceamento, avaliação geométrica ou alinhamento.

Por meio dessa inspeção você também vai descobrir por que não há uniformidade no contato dos pneus com o solo. Nessa ocasião, também é importante aproveitar a oportunidade e realizar a troca de pneus.

O que deve ser revisado?

O caminhão é uma máquina complexa, com vários sistemas que se interligam e não podem deixar de serem avaliados durante a revisão do veículo.

Mesmo sendo essencial que a manutenção de caminhões deve ser realizada por um especialista, é importante que você leia este tópico para reconhecer a relevância prática de revisar alguns itens de seu veículo, bem como os principais perigos que se corre se estes itens ficarem por muito tempo sem avaliação.

Antes disso, é necessário destacar a importância de seguir todas as recomendações do fabricante para assegurar maior durabilidade e desempenho de sua frota. Além disso, as peças devem ser substituídas nos prazos indicados.

Você deseja saber um pouco mais sobre quais itens do seu veículo não podem ficar de fora da manutenção preventiva? Confira a seguir.

Motor

Esta é uma peça fundamental para o bom funcionamento de seu caminhão. E sua durabilidade depende de alguns fatores que são simples, como:

  • escape;

  • arrefecimento;

  • verificação de lubrificação;

  • admissão;

  • sistema de alimentação.

Nesse contexto, deve ser realizada uma inspeção minuciosa do nível de água e do seu aditivo, e do óleo lubrificante, com o caminhão em solo plano e parado. Também é necessário realizar testes de aceleração e avaliar a presença de vazamentos, bem como medir a tensão das correias.

Freio

Se ao pisar gradualmente no freio e o pedal ceder, com certeza seu veículo apresenta algum defeito no sistema de frenagem. 

No sistema de ar, também é importante checar o manômetro, instrumento que mede as variações nos níveis de pressão, que se localiza no painel do veículo. Afinal, essa peça funciona como uma espécie de bússola para que o motorista visualize a pressão do sistema.

Nesse sistema de frenagem também deve-se verificar se há algum vazamento de ar além de certificar o bom funcionamento de lonas e pastilhas. Importante verificar também acúmulo de água no sistema de ar comprimido.

Sistema de direção

Esse sistema é constituído basicamente pelas barras, árvore, caixa, volante e terminais. Deve-se ater ao bom funcionamento desses itens caso contrário, pode haver desalinhamento na direção, o que pode gerar desgaste precoce de pneus, perda de estabilidade e consumo excessivo de combustível. Isso sem contar prejuízos mais graves como acidentes.

Sistema elétrico

Este item é o que melhor comprova que a revisão de sua frota deve ser feita por profissionais capacitados. Afinal, o sistema elétrico é um conjunto complexo de circuitos que permite o funcionamento correto de direção, lâmpadas e motor, por exemplo.

Esse sistema funciona mediante quatro etapas fundamentais (gerar corrente, transmitir corrente, distribuir e carregar) as quais envolvem a utilização de diversas peças como alternadores, chicotes, módulos, dentre outras. As peças mais importantes são as citadas a seguir:

Bateria

O funcionamento das baterias de caminhões é muito semelhante à de carros de passeio, porém são um pouco mais robustas para suportarem o uso intenso.

Para seu bom funcionamento, a bateria deve estar no local correto e com solução destilada mantida em nível adequado. Além disso, os polos da peça devem estar sem impurezas.

É essencial não esquecer que o uso inadequado ou excessivo de acessórios pode reduzir a funcionalidade desse sistema, o que prejudica ele como todo. Dessa forma, para evitar descarregamento precoce da bateria é recomendável manter-se atento ao consumo de energia elétrica pelos acessórios.

Para isso, sempre desligue a chave central do veículo que é justamente uma ferramenta projetada para cessar o consumo de energia dos acessórios, exceto o tacógrafo que nunca pode ser desligado.

Alternador

A energia que é gerada por essa peça é utilizada para suprir o sistema elétrico e carregar a bateria. É o responsável também pelo conta-giros em alguns caminhões de grande porte.

Esse instrumento também é acionado pelo motor por meio de uma correia. Assim, em uma boa revisão preventiva de seu veículo é importante verificar se essa peça está bem ajustada.

Caixa de fusível

Também é um item essencial a ser avaliado. Isso porque a queima recorrente de fusíveis pode indicar disfunções na interligação elétrica ou defeitos elétricos.

Assim, é essencial manter alguns fusíveis em reserva para não utilizar outros materiais como papel e clips, caso tenha que realizar alguma eventual troca. Afinal, isso pode acarretar dano irreversível ao sistema, além de colocar sua vida em risco.

Pneus e suspensão

 

A suspensão é responsável por absorver as irregularidades do solo por meio do sistema de molas. O que evita danos à carga transportada e ao chassi, causado por presença de buracos ou ondulações na pista.

Esse sistema também tem importância na manutenção da estabilidade do veículo e conforto do motorista visto que existe amortecedores impedem que os caminhões pulem por ação das molas.

Já em relação aos pneus, os cuidados, geralmente, não são seguidos apesar de serem de conhecimento da maioria dos motoristas. Calibrar os pneus, por exemplo, é essencial para evitar o desperdício de combustível e o desgaste precoce do item.

Quanto à substituição dos pneus, ela deve ser realizada quando há profundidade de 1,6 milímetro nos sulcos. Caso ultrapasse essa medida, os pneus já são considerados carecas e o risco de acidente torna-se elevado.

 

Os 4 benefícios da revisão preventiva

A manutenção preventiva pode trazer inúmeros benefícios para os gestores das frotas. E deve ser encarada não apenas como um gasto, e sim como uma estratégia de economia em potencial. Quer conferir quais são essas vantagens? Veja a seguir.

1. Redução geral de custos

Imagine o prejuízo de que um acidente devido ao desgaste de uma simples lona do freio pode trazer? Quantas mercadorias podem ser perdidas pela falta de manutenção de uma simples peça de aproximadamente 100 reais, como a lona do freio? Isso sem contar a perda de vidas ou indenizações milionárias que um acidente pode trazer.

Além disso, a manutenção preventiva pode custar 30% a menos, em média, que a despesa total com manutenção corretiva sucessiva feita na frota.

2. Melhor desempenho

A manutenção dos filtros de combustível e ar sempre em dia é uma forma de garantir a máxima potência do seu motor durante toda a viagem. Isso é importante para evitar atrasos na entrega de mercadorias e manter seu cliente sempre satisfeito.

Manter a bomba d’água em pleno funcionamento também é essencial. Afinal, os quilômetros que o veículo percorre podem aquecer o sistema de maneira excessiva, aumentando a necessidade de sempre conservar essa peça.

3. Reduz acidentes

Como dito, um número considerável de vítimas fatais por acidentes em rodovias é registrado anualmente devido à falta de manutenção de algum dos veículos envolvidos.

Nesse contexto é importante lembrar que a legislação quanto à indenização de vítimas de acidentes no trânsito é extremamente rígida. Principalmente quando envolve veículos que não passavam por revisão periódica.

4. Aumenta a longevidade da frota

Este benefício tão evidente, na maioria das vezes é ignorado pelos motoristas. Assim como os outros veículos, o caminhão que está protegido por um plano de manutenção preventiva à longo prazo requer troca de peças em um tempo maior. Como consequência, o veículo pode inclusive durar por muito mais tempo.

A manutenção preventiva de sua frota é uma atitude que deve ser frequente na sua profissão. Afinal, isso permite maior credibilidade e produtividade do serviço prestado, o que reduz gastos dispensáveis. Mais do que isso, a revisão periódica pode reduzir o número de óbitos e acidentes nas estradas do país.

Segundo levantamento de dados realizado pela Polícia Rodoviária Federal, as falhas mecânicas em veículos ocupam a quarta colocação dentre as principais causas de acidentes nas rodovias brasileiras.

Também é estimado que 80% das paradas imprevistas podem ser reduzidas com a manutenção de caminhões em dia.

Portanto, não é apenas questão de luxo realizar a manutenção preventiva de sua frota. É também uma estratégia para manter-se ativo em um mercado tão competitivo.

Gostou de nosso post sobre manutenção de caminhões? Então assine já nossa newsletter e fique por dentro de tudo que diz respeito ao seu veículo!