A manutenção preventiva nos veículos pesados é essencial para manter a produtividade e eficiência do seu “bruto”. Nesse sentido, o alinhamento de caminhões, feito nas revisões periódicas, é indispensável para que as viagens sejam realizadas com segurança e o menor consumo possível.

Além disso, manter todas as rodas alinhadas, inclusive as do semirreboque se for o caso, torna as manutenções do veículo como um todo mais baratas e contribui para sua disponibilidade ser maior.

Mas, afinal, o que é o alinhamento e como ele consegue trazer tantos benefícios para o seu caminhão? Se você tem essas e outras dúvidas, confira neste post tudo o que é preciso saber sobre esse serviço e comece já a aproveitar as suas vantagens!

Entenda o que é o alinhamento de caminhões

Todo caminhoneiro já passou pela situação de, ao rodar com seu “bruto”, sentir que a direção está puxando para um dos lados, dificultando manter-se em linha reta. Esse é o sinal mais comum de que as rodas estão desalinhadas.

O caminhão, assim como os demais veículos, é projetado para funcionar sobre conjuntos de rodas e pneus em perfeito alinhamento, paralelos uns aos outros e em um ângulo com o solo determinado pela fabricante. Os eixos, os rolamentos, a suspensão e uma série de outros componentes ligados às rodas, só podem trabalhar com o máximo de eficiência quando elas seguem esse padrão.

No entanto, as buchas de borracha responsáveis pelo alinhamento se desgastam com o tempo e com o uso, além de serem danificadas por impactos e trepidações. Também o braço tensor, conectado ao eixo, perde a regulagem e pode precisar de reparos. Essas alterações fazem com que os pneus toquem a pista com uma parte menor da banda de rodagem ou se direcionem para sentidos diferentes uns dos outros.

O desalinhamento tem diversas consequências, desde o aumento no consumo de combustível, já que os pneus precisam ser arrastados para a frente, até a avaria de pneus e outros componentes por excesso de esforço ou encaixe inadequado.

As anomalias de alinhamento podem acontecer em três angulações diferentes: convergência, câmber e cáster.

Convergência

A convergência, ou divergência, refere-se ao ângulo horizontal das rodas. Quando estão convergentes, as extremidades dianteiras estão voltadas para o lado de dentro do veículo e as traseiras, para fora. Na divergência, os pneus ficam direcionados para fora em suas extremidades dianteiras.

É o tipo de desalinhamento mais comum, que direciona os pneus em sentido diverso ao do veículo, aumentando seu desgaste e sobrecarregando o motor. É o desalinhamento de convergência das rodas o responsável pela sensação de que o volante está puxando para um lado específico, também.

Esses problemas são corrigidos com o serviço de alinhamento do caminhão e pode ser necessário trocar peças desgastadas da suspensão.

Câmber

O ângulo de câmber é a inclinação vertical da roda, também conhecida como cambagem. Quando a cambagem é negativa, a parte superior das rodas tende para dentro do veículo e a inferior, para fora. Já a cambagem positiva, é o contrário: a superior fica voltada para fora e a inferior, para dentro.

O desalinhamento do câmber causa deformações nos pneus, com o desbastamento desigual da banda de rodagem. Porém, cada veículo possui uma faixa de tolerância de cambagem e é rara a necessidade de ajustes, sempre ligada a acidentes como colisões laterais ou impactos muitos fortes em obstáculos na pista.

Caso seja diagnosticada uma inclinação fora dos padrões de fábrica, o ideal é fazer a troca dos componentes avariados da suspensão em vez do alinhamento técnico, um empenamento mecânico, que fragiliza as peças instaladas.

Cáster

O cáster é a inclinação do pino mestre em relação a seu ponto de fixação no centro da roda. Assim, se o pino está inclinado para trás da roda, o cáster é positivo, se está inclinado para frente, é negativo e se está sobre o ponto de fixação, é nulo.

O ângulo correto de cáster é importante para a estabilidade direcional do caminhão, para que ele possa se manter em linha reta sem ajustes na direção e para que o volante retorne à posição central após uma conversão.

Os valores de cáster também são definidos pela fabricante, pois variam para cada veículo, e dificilmente sofrem alterações a não ser por causa de acidentes e avarias. Nesses casos, da mesma forma que no câmber, o modo mais eficaz e seguro de resolver é a troca dos componentes danificados.

Portanto, o alinhamento do caminhão é um serviço de manutenção que visa acertar os ângulos das rodas em relação a seus respectivos eixos e suspensão, e ao solo. Dessa forma, equilibra o centro de gravidade do veículo, elimina o atrito em demasia dos pneus e mantém todos os componentes perfeitamente encaixados.

Ao manter as angulações dentro dos padrões determinados pela fabricante do veículo, o caminhoneiro só tem a ganhar, pois é um serviço que influencia na conservação e na eficiência de vários componentes, e faz muita diferença no desempenho do caminhão. Quer saber como? Então confira nosso próximo tópico!

Conheça a importância dessa etapa da manutenção do caminhão

O alinhamento das rodas é um dos serviços mais importantes e com melhor custo-benefício na manutenção periódica de um caminhão. Afinal, são ajustes relativamente baratos, mas que geram uma grande economia e trazem um ganho de rendimento considerável para o veículo.

Por isso, é indispensável para um estradeiro, que precisa sempre se preocupar em aumentar sua lucratividade e melhorar a eficiência de suas viagens, dar uma atenção especial para esse item nas revisões de seu “bruto”.

Entretanto, as peças utilizadas nas substituições devem sempre ser originais. Além disso, ajustes só podem ser feitos se os componentes puderem resistir sem perder suas características de fábrica. Por isso, o serviço deve ser realizado apenas em uma concessionária, que conta com profissionais qualificados e equipamentos adequados para a avaliação precisa dos componentes.

Essa é a única maneira de garantir que os benefícios do alinhamento sejam completos e duradouros. Veja, a seguir, quais são essas vantagens e nunca mais deixe seu caminhão desalinhado.

Melhora a segurança nas viagens

Manter as rodas alinhadas faz com que os componentes do caminhão trabalhem dentro dos parâmetros de fábrica. Isso significa menos esforço sobre as peças e, portanto, menor probabilidade de defeitos mecânicos no meio de uma viagem.

Ainda, alguns dos sistemas mais afetados pelo desalinhamento do caminhão em seus funcionamentos são os freios e a suspensão, essenciais para frenagens eficientes e curvas seguras. Também o contato dos pneus com o solo é prejudicado, fazendo-os se desgastarem mais rápido ou dificultando sua aderência em uma frenagem, levando o caminhão a derrapar.

Por fim, o alinhamento permite uma rodagem mais segura por manter o veículo na direção determinada pelo caminhoneiro. Uma roda tendendo para um dos lados pode criar uma situação perigosa em altas velocidades, seja por um descuido do condutor ou por que o caminhão não responderá adequadamente aos comandos em uma situação de emergência.

Reduz o gasto de combustível

Ao ajustar as rodas na direção correta do movimento do veículo, o alinhamento elimina a resistência em excesso que um pneu desalinhado provoca. Mesmo que a diferença seja mínima, o componente desajustado exerce força em sentido diverso ao da marcha do caminhão, tornando-se um peso para o motor arrastar. Assim, é necessário desenvolver mais força e, portanto, gastar mais combustível.

E não é só o desalinhamento de convergência que influencia no consumo. A inclinação de cambagem também é importante pois, estando fora das especificações da montadora do caminhão, a área de contato com o solo pode ficar maior, aumentando o atrito.

Ajuda na conservação dos pneus

Ao rodarem desalinhados, o atrito nos pneus é maior, já que são arrastados para outra direção que não a de sua rodagem natural. Isso leva a um desgaste prematuro, deixando-os carecas mais cedo.

Além disso, diferenças de angulação também levam a um desbastamento irregular da banda de rodagem, já que todo o peso do veículo tende a se concentrar em pontos menores dos pneus. Assim, a deterioração é muito mais agressiva, sendo notada com facilidade a desigualdade entre a área de maior contato com o solo e a de menor.

Ao corrigir esses problemas, o alinhamento garante a máxima eficiência e a durabilidade dos pneus, reduzindo a necessidade de trocas e os perigos do desgaste acentuado.

Aumenta a vida útil das peças mecânicas

Por fazer com que as rodas girem nos ângulos previstos no projeto do caminhão, o esforço sobre os outros componentes, como eixos, suspensão, rolamentos e freios, é menor. Assim, o alinhamento contribui para a conservação de toda a mecânica do veículo.

Também exige menos esforço do motor, da transmissão e caixa de câmbio, pois permite uma rodagem mais suave. Dessa forma, ajuda a prevenir o superaquecimento do motor e preserva a vida útil de suas peças.

Portanto, o alinhamento é importante para reduzir a necessidade de trocas antecipadas de peças e evitar quebras e mau funcionamento de componentes. Por esse motivo, ajuda a diminuir a depreciação do caminhão.

Melhora a disponibilidade do caminhão

Por reduzir o número de visitas à oficina mecânica, seja para consertos de falhas ou para a troca antecipada de peças desgastadas, o alinhamento permite uma maior disponibilidade do caminhão.

Além de quebras e deterioração prematura, manter as rodas e suspensão alinhadas também aumenta a eficiência dos componentes, minimizando o risco de acidentes. Isso evita que o veículo precise passar por longos consertos mecânicos e de funilaria, sem contar os ganhos com a segurança nas viagens e a pontualidade das entregas.

Torna a condução mais confortável

Um caminhão alinhado roda sem trepidações em altas velocidades e sem que o caminhoneiro precise ficar corrigindo o rumo a todo instante. Assim, o esforço para dirigir é menor.

Também as conversões são realizadas com menos força e a correção da direção é mais suave. Tudo isso torna a condução mais confortável, reduzindo o cansaço do caminhoneiro e melhorando sua produtividade.

Como deu para perceber, o alinhamento traz diversas vantagens para o caminhoneiro em economia, produtividade e conservação do caminhão. Mas é um serviço que não deve ser feito isoladamente. Outro ajuste necessário é o balanceamento. Siga para o próximo tópico, pois explicaremos a importância dos dois serem feitos juntos.

Alinhamento e balanceamento: entenda a diferença

O alinhamento é a regulagem dos ângulos das rodas e da suspensão em relação ao veículo e ao solo, de modo que fiquem dentro dos parâmetros da fabricante. Dessa forma, a mecânica trabalha em harmonia para uma melhor rodagem do caminhão.

Mas e quando as irregularidades estão nos próprios conjuntos de rodas e pneus? Certamente influenciará na direção e na eficiência do veículo, também. Para esses casos, é preciso que o balanceamento seja feito.

O que é o balanceamento?

Uma roda com um pneu intactos, saídos da fábrica, possuem uma distribuição de massa uniforme em toda a sua extensão. Por isso, quando giram, tendem a ficar com o centro estável, pois a força gerada pelo movimento é equivalente em todas as direções.

O uso do conjunto, no entanto, causa desgaste da borracha do pneu. Quando esse desgaste é relativamente uniforme, não há problemas. Mas em freadas bruscas, derrapagens, rasgos e furos, a perda de massa é localizada em apenas um ponto, causando desequilíbrio da distribuição. Isso também acontece quando há impactos com obstáculos na via, deformando o pneu ou a roda.

Assim, ao girarem, principalmente em velocidades mais altas, as partes com massas diferentes exercem forças desiguais, causando trepidação no conjunto. Esse desequilíbrio pode ser perigoso por forçar parafusos, eixos, rolamentos e buchas, além de tornar a direção instável.

O balanceamento é o serviço que corrige esse problema. São avaliadas as uniformidades das massas de cada conjunto de roda e pneu. Caso constatada alguma anomalia, são aplicados contrapesos para compensar a diferença.

Quando o balanceamento deve ser feito?

Como o balanceamento de rodas e pneus impacta na segurança da direção e na conservação e regulagem dos outros componentes do caminhão, ele deve ser feito sempre junto ao alinhamento. Afinal, um conjunto desbalanceado força as buchas e causa maior impacto na suspensão, fazendo com que o serviço perca sua eficiência em menos tempo.

Isso não significa que todos os conjuntos de rodas e pneus precisarão ser balanceados. Apenas aqueles que apresentarem irregularidades. No entanto, é importante que todos sejam avaliados preventivamente.

Da mesma forma, deve-se fazer o balanceamento sempre que for constatada trepidação nas rodas, se o pneu ou a câmara forem trocados por qualquer motivo, ou se pneus ou rodas sofrerem impactos ou avarias.

Portanto, balancear as rodas e pneus é tão necessário para a conservação do caminhão, a segurança nas viagens e o conforto do caminhoneiro quanto o alinhamento. Por isso, o ideal é não deixar de conferir os conjuntos sempre que for alinhar o veículo, para prevenir problemas e manter a eficiência do serviço.

Mas qual o momento certo de fazer essas manutenções? Continue sua leitura, pois no tópico seguinte daremos dicas para você controlar melhor o alinhamento do seu caminhão.

Saiba como fazer o controle do alinhamento do seu caminhão

Como já foi dito, manter as rodas alinhadas é indispensável na manutenção de caminhões, pois influencia na sua conservação e desempenho. Por isso, é essencial ter controle sobre o alinhamento do veículo, evitando o consumo excessivo e o desgaste prematuro de pneus e de outros componentes.

Para tanto, o caminhoneiro precisa saber identificar, no uso do caminhão, os sintomas do desalinhamento das rodas. Além disso, precisa ter em mente que toda manutenção é mais eficiente se realizada preventivamente.

Sendo assim, confira abaixo nossas dicas para saber em quais situações é recomendado alinhar o seu veículo.

Ao fazer uma revisão do caminhão

As revisões do caminhão, tanto as programadas pela concessionária como as recomendadas pela montadora, são realizadas a cada 10 mil quilômetros, geralmente. Nelas, são substituídas várias peças como filtros e correias, é realizada a troca do óleo lubrificante do motor e outros componentes são vistoriados, como sistema de arrefecimento, suspensões e freios, variando conforme a quilometragem.

Essas revisões são a base da manutenção preventiva do veículo. Portanto, o ideal é aproveitar a ocasião para fazer o alinhamento e conferir o balanceamento dos conjuntos de rodas e pneus.

Por isso, é importante sempre revisar o caminhão em uma concessionária, que terá os equipamentos necessários para a execução de todos os serviços e utilizará peças originais nas trocas, tornando a manutenção mais ágil e segura.

Quando notar desgaste irregular nos pneus

O caminhoneiro deve sempre vistoriar os pneus do caminhão, observando a integridade da borracha, tanto nas laterais como nas bandas de rodagem. Além de conferir a profundidade dos sulcos, é preciso avaliar se o desgaste está bem distribuído.

Caso algum pneu apresente desbastamento irregular, com um lado da banda de rodagem mais gasto do que o outro, por exemplo, a roda pode estar desalinhada. Outro sinal de que o veículo precisa de alinhamento é se um ou mais pneus exibirem desgaste maior do que os outros, pois é possível que estejam sendo arrastados por não estarem direcionados corretamente.

Veja os principais tipos de desgaste:

Quando sentir puxar a direção para um lado

Se, ao dirigir, o caminhoneiro sentir dificuldade em manter o veículo em linha reta, sendo necessário corrigir o curso a todo instante ou aplicar pressão constante no volante, provavelmente existem rodas desalinhadas. Elas puxam o veículo para a direção em que estão viradas ou atrapalham o movimento de um dos lados, tornando suas velocidades desiguais.

Nesse caso, é importante parar o mais rápido possível para fazer o alinhamento, pois pode ser perigoso viajar com o caminhão. Como as respostas para as ações ao volante estão comprometidas, fica mais difícil reagir com segurança a uma situação de risco.

Também pode acontecer de o caminhão tender para um dos lados quando o freio é acionado. Esse é outro sintoma de falta de alinhamento, pois é sinal de que as rodas estão sendo freadas de maneira desigual.

Após impactos em buracos ou obstáculos

Impactos fortes em buracos ou outros obstáculos nas vias, especialmente em velocidades altas, além de poderem causar a deformação dos pneus, amassar as rodas e quebrar peças como rolamentos e suspensão, desalinham o caminhão. Assim, após passar por uma situação dessas, recomenda-se fazer uma revisão completa das rodas e suspensão, incluindo seu alinhamento.

Isso acontece, também, com o uso constante em pistas mal conservadas ou sem asfalto. A diferença é que, nesse caso, o desgaste é mais lento. No entanto, para caminhões que rodam muito nesses tipos de via, é interessante alinhar as rodas preventivamente com periodicidade menor, a cada cinco mil quilômetros rodados, em média.

A cada troca ou rodízio de pneus

Sempre que um conjunto de roda e pneu é modificado em um eixo, o alinhamento pode ficar comprometido por conta de diferenças existentes nos desgastes dos pneus, que influenciam na geometria da suspensão. Portanto, ao fazer o rodízio de pneus ou substitui-los por novos, é essencial realizar, também, o alinhamento do caminhão para ajustar a suspensão ao novo conjunto.

Ao realizar a manutenção da suspensão

A troca de componentes como bandejas, batentes, amortecedores e molas, também modifica o alinhamento do veículo, pois os ajustes são feitos medindo os ângulos da roda em relação ao seu encaixe no conjunto de suspensão respectivo.

Ao substituir suas peças, a suspensão toma medidas e ângulos diferentes, pois as partes de desgaste estão novas. Assim, é preciso refazer o alinhamento da roda do eixo em que houve a manutenção.

Se sentir trepidação nas rodas ou no volante

Se for possível sentir que alguma roda está trepidando ou se o volante apresentar vibração excessiva, é muito provável que o caminhão esteja precisando refazer o alinhamento. Buchas desgastadas e diferenças nas angulações das rodas causam essas oscilações, sentidas especialmente em velocidades mais altas.

O alinhamento de caminhões é um item essencial para sua manutenção. Todo caminhoneiro precisa conhecer seus benefícios, que vão desde a economia de combustível, passando pela conservação da mecânica, até mais segurança e conforto nas viagens. Por isso, é importante manter o veículo sempre alinhado, fazendo revisões preventivas e corrigindo as irregularidades quando necessário.

Este post foi útil para você? Quer mais informações sobre a manutenção de caminhões e a vida na estrada? Então assine nossa newsletter e receba por e-mail as nossas novidades!