O consórcio para caminhões pode ser uma opção interessante para caminhoneiros que desejam trocar seus veículos por modelos mais novos ou para quem sonha em se tornar um profissional autônomo. Afinal, não é fácil economizar para ter o capital necessário para tamanho investimento, e os juros altos dos empréstimos bancários, em alguns casos, não compensam.

Nesse sentido, o consórcio serve como uma poupança a longo prazo, facilitando o planejamento financeiro de quem busca um bem de valor alto, como um caminhão, e um tipo de financiamento sem juros. No entanto, muita gente ainda tem dúvidas quanto ao funcionamento dessa modalidade de compra, apesar de ela já ser bastante popular no Brasil.

Por isso preparamos este post, com todas as informações que você precisa para saber se o consórcio é a melhor escolha para o seu caso e como contratá-lo com segurança e comodidade. Não deixe de ler!

O que é um consórcio?

O consórcio é uma modalidade de compra de bens ou contratação de serviços pela qual pessoas físicas ou jurídicas se unem para formar um tipo de poupança coletiva para alcançá-los. A cada mês, um ou mais participantes são contemplados com uma carta de crédito com o valor total da compra.

A escolha do contemplado é feita por meio de sorteio, realizado nas assembleias gerais do grupo. Há, ainda, uma espécie de leilão em que os participantes que assim desejarem podem oferecer uma antecipação de valores de suas contribuições. Essa fase é chamada de disputa de lances, sendo que a proposta mais alta leva, também, uma carta de crédito.

Como há regras a serem seguidas e um fundo monetário a ser gerido, é necessário que uma administradora organize o grupo de consórcio. Ela será a responsável por elaborar os contratos, dividir as participações, recolher as contribuições, agendar e organizar as assembleias com os sorteios e disputas de lance, além de regulamentá-los.

Os consórcios são formados sempre para adquirir bens de uma mesma categoria, como imóveis, automóveis, viagens, máquinas e caminhões.

Entenda como funciona o consórcio para caminhões

O consórcio para a aquisição de caminhões funciona da mesma maneira. A diferença é que todos os participantes têm como objetivo a compra de um veículo pesado e, por isso, os valores das cartas de crédito e os prazos costumam ser maiores do que os de automóveis de passeio.

Geralmente, são oferecidas algumas opções de modelos específicos para que os interessados escolham. No entanto, eles são usados somente como referência de valor da carta de crédito porque, ao recebê-la, o contemplado é livre para adquirir qualquer outro caminhão ou veículo dentro da categoria para a qual o consórcio foi criado.

Entenda a diferença entre consórcio e financiamento

O financiamento é um empréstimo pessoal concedido por uma instituição financeira para um fim específico, como a compra de um imóvel ou veículo. Existem vários tipos de financiamentos, mas, no geral, o bem adquirido fica como garantia para o pagamento das parcelas.

Como em qualquer empréstimo, há cobrança de juros, além de outras taxas. Para ter acesso a esse dinheiro, é necessário uma linha de crédito pré-aprovada pela instituição financeira. Na maioria dos casos, os financiamentos não cobrem o valor total do bem, sendo necessário o pagamento de uma entrada.

Já o consórcio é um modo de autofinanciamento, em que as contribuições mensais criam um fundo a ser utilizado posteriormente. Como é realizado em grupo, a cada mês, um ou mais integrantes, dependendo do contrato, já conseguem receber a carta de crédito antecipada e fazer suas compras.

Por isso, a burocracia é menor. Não há grandes impedimentos para entrar em um grupo. E, como não é um empréstimo, não há juros sobre o crédito adquirido.

Como deu para perceber, são duas modalidades de compra completamente diferentes, com regras e funcionamento diversos. Veja, no tópico a seguir, algumas das vantagens que o consórcio pode proporcionar.

Quais as vantagens de fazer um consórcio?

Os consórcios têm crescido no gosto dos brasileiros, pois são uma forma barata, em relação aos financiamentos, de adquirir um bem considerado caro. Além disso, ao aderir a um grupo, o integrante é cobrado todo mês a fazer sua contribuição para um fundo que será revertido para seu próprio uso.

Parece bom, não é? Então, confira a seguir outros benefícios do consórcio para saber se é a modalidade certa para você!

Não exige entrada

O consórcio não exige entrada ou qualquer tipo de aporte financeiro, tanto para a participação no grupo quanto para a compra do bem. Pelo contrário. Ao ser contemplado com a carta de crédito, o consorciado recebe o valor integral contratado, podendo utilizá-lo para comprar o bem à vista, se for suficiente.

Isso dá maior poder de negociação para o caminhoneiro conseguir benefícios dos vendedores, como acessórios, opcionais de fábrica e descontos em impostos, taxas e serviços na pós-venda.

Ajuda no planejamento financeiro

Como as parcelas do consórcio e o seu prazo de vigência são definidos em contrato, fica mais fácil planejar-se para poder arcar com as contribuições, com a garantia de que, ao final, o participante receberá o valor exato proposto no início do grupo. Dessa forma, é uma maneira eficaz de poupar para alcançar um objetivo, sem o risco de perder o foco.

Não cobra juros

Por não ser um empréstimo, não há cobrança de juros sobre as parcelas, pois a administradora não age como uma instituição financeira. Ela apenas gerencia o grupo e o fundo comum. Isso faz com que a compra por meio do consórcio saia mais barata do que se fosse feita com financiamento.

Pode ser usado para comprar o caminhão que você quiser

Apesar de serem sugeridos certos modelos e marcas específicas, esses veículos, como já dissemos, são usados apenas como parâmetros de valor e exemplos do tipo de bem que se enquadra na categoria daquele grupo.

Ao receber sua carta de crédito, o consorciado é livre para optar por comprá-lo ou não. Nesse caso, ele poderá escolher outro modelo, outra marca ou mesmo entre caminhões usados ou outros veículos, bastando estarem na mesma categoria e dentro das especificações contidas no contrato.

Como qualquer modalidade de compra, o consórcio pode ser mais ou menos interessante de acordo com o perfil do comprador. Assim, para saber se é a melhor opção para você, é importante estar por dentro de todas as suas características. Portanto, siga para o próximo tópico para conhecer, também, algumas desvantagens do consórcio.

Quais as desvantagens do consórcio?

O consórcio é uma operação financeira diferente, com características próprias e, por isso, da mesma forma que oferece vantagens também apresenta algumas desvantagens em relação a outros tipos de parcelamento. Elas estão relacionadas, principalmente, ao tempo de espera e à incerteza quanto ao prazo para o recebimento da carta de crédito.

Por isso, é uma modalidade mais interessante para quem não tem tanta pressa, apesar de ser possível adotar uma estratégia para aumentar suas chances de ser contemplado. Assim, para ter certeza de que o consórcio é a melhor opção para o seu caso, confira suas desvantagens.

A carta de crédito pode demorar a sair

Os consórcios são grupos formados pelo prazo igual ao do parcelamento contratado. A cada mês, um ou mais integrantes são contemplados por sorteio ou disputa de lances. Isso significa que você pode obter sua carta de crédito logo na primeira assembleia, como também pode só recebê-la após a quitação de todos os pagamentos.

O valor do caminhão pode subir

Apesar de a carta de crédito ser corrigida pela inflação, o modelo de caminhão desejado pode sofrer uma flutuação maior e ficar mais caro. Essas variações são influenciadas por diversos fatores de mercado e, como a compra pode demorar, não há garantia de que o preço será equivalente. Caso o consorciado queira manter sua escolha inicial, terá de arcar com a diferença.

Os seus planos podem mudar

Quem sabe o que acontecerá daqui a um ano? E daqui a cinco ou oito anos? Não dá para dizer com certeza. A adesão a um consórcio, portanto, é uma aposta no futuro e, por isso, precisa ser bem pensada.

Pode haver imprevistos no meio do caminho, mudanças de planos familiares ou objetivos pessoais, doenças ou acidentes que podem fazer você precisar do dinheiro investido. Dependendo do contrato firmado, pode haver cobranças de taxas para reavê-lo.

Esse é apenas um dos motivos pelos quais é essencial que o caminhoneiro que esteja considerando aderir a um consórcio escolha uma administradora confiável. Quer saber como? A seguir tratamos disso e damos dicas do que analisar antes de contratar uma empresa de consórcios. Confira!

Como escolher a administradora do consórcio?

A escolha da administradora é muito importante, pois são empresas que estão vendendo o serviço de organizar e gerenciar o grupo de consórcio e seu respectivo fundo monetário comum. Assim, é recomendável verificar os preços cobrados nas taxas de administração e as condições de contrato oferecidas para ver se são interessantes para você.

Contudo, o mais importante é diminuir o risco de calotes porque, se o dinheiro do fundo for mal gerido, pode se tornar insuficiente para cobrir todas as cartas de crédito. Por isso, a escolha da administradora de consórcio é essencial para a tranquilidade ao longo do contrato.

Pontos que devem ser analisados nessa escolha

Para que você possa aproveitar os benefícios de um consórcio e ter sua compra garantida ao ser contemplado, separamos algumas dicas sobre como pesquisar empresas idôneas e o que analisar para escolher a melhor administradora.

Veja se a empresa é autorizada pelo Banco Central

Somente empresas autorizadas pelo Banco Central podem organizar e administrar um grupo de consórcio. Por isso, confira junto ao órgão se a administradora escolhida está cadastrada e qual sua situação de atividade.

Outra instituição que deve ser consultada é a Abac (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio). No site da associação, é possível verificar se a administradora é uma associada. Esse é um bom indício de que ela cumpre todos os requisitos legais e burocráticos para seu funcionamento.

Confira as avaliações e reclamações dos clientes

Busque na internet, em sites como Reclame Aqui e no próprio Google, as avaliações e reclamações dos clientes que já negociaram com a administradora. Essa é uma forma de pesquisar a verdadeira reputação da empresa, construída por quem de fato experimentou seus serviços.

Também é possível fazer uma busca nacional de reclamações nos Procons estaduais e órgãos de defesa do consumidor por meio do site do Sindec (Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor).

Prefira marcas consolidadas no mercado

Para evitar golpes, e principalmente o risco de falência da administradora com a consequente perda do fundo comum do grupo, o ideal é optar por grandes marcas, já consolidadas no mercado. Essas empresas possuem patrimônio suficiente para garantir o pagamento das cartas de crédito aos consorciados.

Além disso, as grandes marcas têm um nome, muitas vezes de alcance internacional, que precisa ser zelado. Também estão à frente das melhores práticas administrativas e de assistência ao cliente.

Não caia em promessas falsas

Em nenhuma hipótese é possível garantir a contemplação de um consorciado antes do final da vigência do grupo. Somente a sorte, tanto no sorteio como na oferta do melhor lance, pode fazê-lo ser contemplado. Portanto, fuja de empresas e corretores que fazem esse tipo de promessa. No mínimo, não são confiáveis.

Além de escolher uma administradora séria e competente, é preciso estar em dia com a sua própria documentação. Afinal, o contrato de um consórcio é firmado por duas partes, que devem comprovar ser confiáveis uma para a outra. Veja no próximo tópico o que é necessário para participar de um grupo e ser contemplado.

Quais documentos são necessários?

Para a adesão a um grupo de consórcio, geralmente, não são necessárias muitas comprovações. A maioria das administradoras requer apenas documentos de identificação, como RG e CPF, além do contrato assinado.

No entanto, ao ser contemplado antecipadamente, é preciso demonstrar capacidade para continuar honrando seu compromisso com o pagamento das parcelas restantes. Só isso pode garantir a continuidade do grupo e o repasse das cartas de crédito a todos os integrantes. Por isso, são exigidos outros documentos e comprovações para que a carta de crédito seja aprovada.

Veja algumas dicas para aumentar a chance de aprovação

No momento da contemplação, o consorciado deve estar em dia com o pagamento de suas parcelas de contribuição ao grupo, além de apresentar comprovações de que manterá suas obrigações contratuais. Caso haja desconfiança, a administradora pode dificultar a aprovação da carta de crédito. Veja algumas atitudes que podem evitar essa situação.

Manter o nome limpo

Ter restrições em seu nome junto aos órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa, indica que você é mau pagador. Claro que isso pode não ser verdade, e o problema ser apenas um caso isolado, mas o administrador não tem como saber disso. Portanto, mantenha seu nome limpo se quer evitar dificuldades na aprovação da carta de crédito.

Certificar-se de ter uma renda compatível

Além da conferência da reputação nos órgãos de proteção ao crédito, a administradora pode solicitar comprovação de renda para que a carta de crédito seja liberada. Geralmente, as parcelas do consórcio não podem consumir mais do que um terço da sua renda. Dependendo do caso, os rendimentos do casal podem ser somados.

Conferir se há pendências no seu CPF

Acesse o site da Receita Federal e confira se o seu CPF está regular. Eventuais pendências podem ter origem em dívidas com a Fazenda Federal ou problemas com a Justiça, no processo eleitoral, no imposto de renda ou apenas cadastrais. Um CPF irregular pode impedir o recebimento da carta de crédito.

Manter seu cadastro atualizado

Por fim, mantenha seu cadastro atualizado junto à administradora, informando qualquer mudança de endereço, telefones de contato, e-mail ou estado civil, por exemplo. Esse cuidado é importante para que não haja divergências com a documentação a ser apresentada e para que a empresa possa encontrá-lo para comunicar a contemplação e resolver pendências.

Agora, que você já está pronto para receber sua carta de crédito, é o momento de pensar na compra do caminhão. Quer saber como escolher o veículo ideal para suas necessidades? Então, siga para o próximo tópico!

Como escolher o caminhão?

A escolha do caminhão deve ser feita com calma, refletindo sobre as características do modelo e suas necessidades profissionais para que a compra possa trazer o melhor custo-benefício. Como a principal ferramenta de trabalho de um caminhoneiro, o “bruto” influencia em todos os aspectos de seu dia a dia e, principalmente, na sua produtividade e lucratividade.

Portanto, confira nossas dicas de como escolher um caminhão que seja adequado e eficiente aos seus objetivos profissionais e pessoais.

Escolha entre novo ou usado

A primeira coisa a fazer é optar por um caminhão novo ou usado. Se, por um lado, o zero-quilômetro oferece o que há de mais moderno em tecnologia, sendo mais econômico e menos poluente, e aumentando o conforto na cabine, além de vir com a garantia de fábrica e estar em perfeitas condições de uso, por outro seu preço é mais alto, pois não sofreu nenhum tipo de depreciação.

Já o caminhão usado é mais barato, tendo passado pela maior desvalorização de um veículo que ocorre ao sair da concessionária pela primeira vez. No entanto, é impossível garantir completamente como o uso do antigo dono afetou sua conservação.

Pense no tipo de serviço que será realizado

Cada tipo de caminhão é projetado para certos objetivos, sendo mais ou menos eficientes de acordo com os serviços a serem prestados. Pense no tamanho e nos locais em que rodará para optar por um ¾, Toco, Truck ou cavalo mecânico, por exemplo. Depois, escolha a carroceria conforme a carga que será transportada.

Calcule outros custos de propriedade

Faça um comparativo entre os preços das peças de reposição e serviços de revisão. Quanto mais difícil for encontrar uma concessionária da marca, mais cara será a manutenção.

Além disso, faça cotações de seguros para o modelo escolhido e calcule os gastos com impostos como o IPVA e o seguro obrigatório. Esses custos nem sempre são levados em consideração na hora da compra, mas fazem a diferença na lucratividade do caminhoneiro.

Avalie a depreciação do modelo

Outro custo que precisa ser considerado é o da depreciação do caminhão. É, basicamente, a diferença entre o valor que foi pago no momento da compra e o que será recebido em eventual venda futura. Para ter uma ideia, avalie modelos de anos anteriores pela tabela Fipe e consulte, nos sites de vendas de veículos, os valores pedidos para um seminovo igual ao escolhido.

Faça um test drive

Por fim, faça um test drive no modelo a ser comprado, verificando se a posição de direção é confortável, se você se dá bem com os controles do “bruto” e se ele tem bom rendimento de motor. Confira, também, se há problemas nos freios e suspensões ou se apresenta ruídos estranhos durante o trajeto.

Agora é só botar o caminhão na estrada e curtir os benefícios que o veículo novo trazem para a vida de caminhoneiro! No entanto, é importante lembrar que, para não ter problemas com o pagamento do consórcio até o final de sua vigência, é preciso planejamento financeiro.

Como se planejar financeiramente para o consórcio?

Antes de assinar o contrato com uma administradora, tenha certeza de que você não terá problemas para honrar os pagamentos até o final da vigência do grupo. A inadimplência causa vários transtornos, como a impossibilidade do recebimento da carta de crédito e o prejuízo para os demais integrantes, e você pode sofrer uma ação judicial para devolver o bem comprado.

Assim, para evitar dores de cabeça, faça um planejamento prévio para arcar com as parcelas da sua contribuição. Veja a seguir as nossas dicas para garantir sua saúde financeira durante o contrato do consórcio.

Não comprometa muito da sua renda

Como já mencionado, a administradora exigirá comprovação de renda para a entrega da carta de crédito antecipada. Geralmente, as parcelas não podem ultrapassar um terço dos rendimentos. Mas, além de ser uma exigência da empresa, manter esse limite é uma atitude inteligente para garantir os pagamentos sem comprometer sua qualidade de vida.

Economize nas viagens

Faça o planejamento de suas rotas para encontrar os caminhos mais eficientes, os horários com menos trânsito e evitar trechos com problemas de segurança. Também devem ser pesquisados os preços de pedágios, combustível, locais de parada, pernoite e restaurantes ao longo do trajeto para encontrar os estabelecimentos com melhor custo-benefício.

Planeje-se para dar um lance vencedor

Se possível, faça uma poupança à parte para poder dar um lance grande, com boa possibilidade de ser vencedor, dentro de um prazo estipulado. Calcule o necessário a ser poupado em cada mês e una a família em torno desse objetivo para que todos contribuam. No final, será recompensador.

Faça a manutenção preventiva do seu caminhão

Como caminhoneiro, você já deve saber que a manutenção preventiva pode ser até 40% mais barata que a corretiva. Portanto, não economize nesse item. Além de ser mais eficiente, evita perder prazos e fretes por problemas mecânicos, melhorando sua produtividade.

Como vimos, o consórcio para caminhões apresenta benefícios em relação aos financiamentos normais, sendo uma maneira mais barata de conseguir comprar o seu veículo. Por isso, pode ser uma alternativa interessante para quem quer se tornar profissional autônomo ou para quem precisa trocar o caminhão.

Gostou deste post? Então, aproveite para ler mais dicas de como comprar um caminhão com o melhor custo-benefício para você!