Seja o diretor de uma empresa de grande porte com vários caminhões na frota, seja um autônomo que faz alguns fretes, todos gostam de economizar. Um caminhão é um investimento que requer cuidados para alongar sua vida útil, não é mesmo? E, quando o assunto é pneu para caminhão, por exemplo, é importante ficar de olho.

Manter a boa condição dos pneus é uma atitude pouco valorizada, mas que pode fazer muita diferença no bolso e no desempenho do veículo.

Os caminhões carregam toneladas de diversos tipos de cargas, enfrentam frio e calor trafegando por estradas das mais variadas e nem sempre na melhor das condições. Os pneus, por sua vez, estão em contato direto com todas essas situações, caindo em buracos, se molhando e sustentando todo o peso.

A seguir, vamos explorar 11 dicas de manutenção para mantê-los em ótimas condições. Para saber mais, continue lendo o texto!

1. Ande dentro da lei

Se você já tem alguma noção de como lidar com pneus de carros de tamanho padrão, potencialize os cuidados considerando o tamanho de um pneu de caminhão. Mesmo para quem não tem ideia de como começar, é a atenção diária e algumas simples medidas que darão maior vida útil e segurança aos seus pneus.

Lembre-se, portanto, de que existe um limite máximo de desgaste que os pneus podem ter para que o caminhão continue rodando sem o risco de ser apreendido. Conhecer o funcionamento das normas do trânsito e respeitá-las adequadamente é um requisito essencial para ser um bom caminhoneiro.

Segundo a resolução do CONTRAN n.º 558/80 (Conselho Nacional de Trânsito), os sulcos dos pneus não podem ser menores que 1,6 mm de profundidade. Fique esperto, pois isso é uma questão legal. Todo pneu abaixo desse limite é considerado careca e sem as condições ideias, oferecendo riscos a você e àqueles que cruzam o seu caminho.

Mesmo para aqueles que são mais descuidados, respeitar essa lei é um fundamento mínimo. Afinal, ela pode salvar as vidas de muitas pessoas.

2. Controle o uso

Todo e qualquer pneu está suscetível aos mais diversos tipos de solo — asfalto da zona urbana, rodovias, estradas de terra —, e isso inclui os pneus de caminhão. As irregularidades podem afetar o tempo de vida dos pneus; é uma imprevisibilidade que todos devem saber lidar.

Se você prefere investir em caminhões usados, por exemplo, é preciso ficar bastante atento a esse aspecto. Olhá-lo com o devido cuidado permite analisar melhor o real estado do veículo que você pretende comprar ou vender.

Por isso, é importante ter um registro relacionado à frequência de utilização em terrenos impróprios. Verificar os possíveis danos o quanto antes pode ser decisivo. Aos poucos, isso ajudará você a fazer um maior controle do estado das borrachas, evitando surpresas desagradáveis no futuro.

No entanto, uma direção defensiva também é muito eficiente e trará benefícios no consumo de borracha ao longo prazo. Freadas, aceleradas e curvas feitas de forma conservadora pesam positivamente no orçamento e no tempo de uso dos pneus.

Ou seja, você não só dirigirá com mais segurança, mas também precisará gastar menos com os reparos. Dessa forma, é possível ganhar dois benefícios com apenas uma ação!

3. Saiba a hora de trocar o pneu para caminhão

Geralmente, alguns fatores são recorrentes e influenciam diretamente na durabilidade do pneu de caminhão:

  • o tipo de estrada percorrido com maior frequência;

  • o clima que se enfrenta com recorrência;

  • a calibragem adequada dos pneus — tarefa obrigatória numa boa manutenção;

  • peso total das cargas.

Tendo essas informações alinhadas com o motorista, é muito mais simples controlar o desgaste dos pneus, já que é viável encontrar soluções para lidar com cada um desses fatores.

Normalmente, é possível perceber a hora de trocar os pneus visualmente. Os sinais de desgaste de veículos desse porte são evidentes. O principal deles é a deterioração dos sulcos, que são as frestas que garantem a boa aderência dos pneus ao solo. Caso estejam excessivamente gastas, é porque chegou o momento de trocá-los.

4. Use o TWI

A utilização do indicador TWI (Tread Wear Indicator) é essencial em muitos momentos. Ter uns mais desgastados do que outros é algo absolutamente normal. Porém, conferir as condições apresentadas é mais do que necessário, ainda mais para quem lida com cargas perigosas constantemente.

Para fazer a conferência é simples: localize o indicador da sigla TWI ou um símbolo de triângulo na lateral do pneu. Abaixo de 1,6 mm, significa que está na hora de aposentá-lo. É claro que rasgos aparentes, bolhas e perfurações são sinais de falta de cuidado. Sendo assim, eles significam a necessidade de realizar uma troca precoce, mesmo quando o indicador de TWI está adequado.

É uma medida preventiva gratuita, cuja eficácia chega até a impressionar, tamanha a sua facilidade de execução. Por isso, ela não pode ser deixada de lado, ok?

5. Leve lições do carro para o caminhão

A experiência acumulada como motorista de automóveis também pode ser bastante útil em relação aos “pesadões”.

Afinal, aqueles procedimentos periódicos para o carro também se aplicam aos caminhões. São gestos auxiliares na hora de economizar com os pneus e, ainda, dão uma ajuda que vale para o caminhão com um todo:

  • respeite os prazos de revisão;

  • mantenha em dia o alinhamento;

  • fique de olho no balanceamento;

  • cuide dos elementos internos, como o motor e outros componentes.

Esses aspectos, por mais simples que possam parecer, atuam na prevenção em relação a um desgaste mais acentuado dos pneus. Por isso, após rodar algo em torno de 10 mil quilômetros, é interessante fazer esses procedimentos “de rotina”. Vibrações e ruídos incomuns também são indicativos relevantes. Caso contrário:

  • você pode ficar sem estabilidade no volante;

  • o caminhão tende a perder tração e ficar instável;

  • diversos componentes mecânicos e as rodas podem ser prejudicados.

Veículos pesados não são para qualquer um! Portanto, redobre o seu cuidado com eles. Improvisar ou dar um jeitinho na hora do reparo pensando em economizar um pouco é um grande erro. Pense em longo prazo, seu bem-estar e o seu bolso agradecerão. Duvida? Basta botar na ponta do lápis um eventual gasto com acidentes.

6. Conheça o pneu para caminhão

No caso dos caminhões, considere as seguintes medidas: um pneu zerado chega com 8 milímetros de espessura; aquele já no meio do caminho, o famoso meia-vida, que sai mais em conta, deve ter pelo menos 4 milímetros de espessura; e o que está no fim da linha, careca, tem menos de 2 milímetros de espessura.

Na hora certa de trocar o pneu do seu caminhão, não menospreze a experiência. Se não tiver feito isso antes, cheque informações com colegas de profissão e mecânicos de sua confiança. Considere estes fatores nesse momento:

  • o tipo do pneu;

  • a pressão;

  • a adequação em relação ao veículo;

  • os serviços prestados;

  • a carga transportada;

  • a originalidade;

  • a qualidade e o reconhecimento da marca.

São diversas as opções disponíveis no mercado. Desse modo, reflita bastante sobre o custo-benefício antes de fazer a sua escolha. Bons pneus também garantem a boa conservação de diversas outras áreas do caminhão: leve isso em conta na sua decisão!

7. Faça o rodízio

Assim como acontece em outros meios de transporte, o rodízio traz bons resultados também nos caminhões. Essa medida equilibra o desgaste entre todos os pneus e garante um padrão no tempo de vida útil. Assim, em vez de ter um pneu excessivamente gasto, você fará um uso homogêneo de todos eles.

Há, basicamente, duas razões fundamentais para fazê-lo: aumentar a vida útil e deixar o veículo mais estável. A medida traz resultados incríveis, principalmente em relação a curvas e freadas, que exigem mais das rodas.

O indicado é que você busque por profissionais capacitados para realizar o procedimento. Como o uso de seu caminhão é profissional, não seria legal submetê-lo a um conserto ineficiente ou amador, certo?

A periodicidade é a mesma do balanceamento e do alinhamento: a cada 10 mil quilômetros ou quando surgir alguma demanda específica. Isso quer dizer que vale bastante a pena fazer as três coisas ao mesmo tempo, já que o caminhão não poderá rodar.

Outras dicas gerais em relação ao rodízio são:

  • troque as rodas internas em caminhões com mais eixos e rodas;

  • faça as trocas de um mesmo eixo simultaneamente, a fim de evitar o desbalanceamento e o desalinhamento;

  • readapte as pressões de cada pneu após o processo;

  • verifique o manual do veículo para saber qual é a melhor maneira de proceder — na maioria das vezes, o rodízio cruzado é mais recomendado;

  • faça a rotação longitudinal ou paralela em pneus unidirecionais.

8. Cuide da calibragem

Falar em calibragem para os motoristas experientes pode até parecer uma bobagem, tamanha a obviedade dessa precaução. Contudo, ela nunca é à toa e ainda continua sendo uma das principais “amigas” de quem dirige caminhão.

A quantidade de benefícios trazidos por um simples gesto, que pode ser feito enquanto você põe combustível em sua máquina, é gigantesca.

Faça a calibragem de acordo com o tipo de uso do caminhão. Dessa forma, não deixe de ler o manual de instruções do fabricante para saber quais são as pressões de ar recomendadas.

No geral, indica-se a realização da calibragem a cada duas semanas. Entretanto, o período pode variar um pouco segundo as especificidades do carro em questão.

Se você pensa em otimizar os seus lucros e exercer uma direção econômica, andar com pneus bem calibrados é de grande importância.

Alguns dos malefícios causados pela baixa pressão são:

  • desgaste nos ombros;

  • curvas mal feitas;

  • possibilidade de desagregação da rodagem;

  • desgaste dos terminais de direção;

  • direção “pesada”;

  • maior consumo de combustível.

Já a pressão em excesso pode:

  • desgastar o centro de rodagem;

  • rachar a base dos sulcos;

  • aumentar a chance de estouros por conta do impacto;

  • diminuir a área de contato com o solo

Estas dicas também podem ajudar:

  • faça a calibragem sempre com os pneus frios;

  • encha o estepe com algumas libras a mais, para compensar o esvaziamento que ocorre naturalmente.

9. Limpe os pneus para caminhão

Todo bom caminhoneiro se preocupa em manter uma cabine limpinha e confortável. Até mesmo porque muito tempo é passado ali e não há nada mais desagradável que um lugar sujo, não é mesmo?

A mesma regra vale para os pneus! Por mais estranha que pareça essa dica, já que eles estão em constante contato com os mais variados tipos de sujeira, limpá-los é uma tarefa relativamente tranquila e que ajuda muito na manutenção.

Levando isso em conta, retire, sempre que possível:

  • resíduos de óleo ou graxa;

  • pedaços de borracha;

  • materiais pontiagudos;

  • galhos;

  • poeiras;

  • restos de comida;

  • entre outros.

10. Fique de olho nos reparos

Dar um “jeitinho” promete solucionar os problemas em um passe de mágica, certo? No entanto, querer fazer as coisas rapidamente pode ser o começo de uma complicação ainda mais chata!

Recapar, remodelar ou recauchutar um pneu são práticas comumente feitas por caminhoneiros de todo o Brasil. Embora esse tipo de reforma não seja ilegal, ele está longe de ser uma solução definitiva para o desgaste da borracha.

Elas precisam do selo do Inmetro e não devem ser feitas mais que duas vezes em um mesmo pneu, ok?

11. Fuja de erros comuns

Por mais experiente que você seja no assunto, alguns errinhos comuns podem prejudicar seu fiel companheiro de estrada. Quer uma boa notícia? Resolvê-los é algo que não requer nem tempo nem esforço, apenas um pouco mais de atenção!

Quando qualquer um desses sinais aparecerem, procure uma mecânica especializada ou uma borracharia de sua confiança:

  • o caminhão parece “balançar” para alguns dos lados quando você anda;

  • a chuva faz com que você derrape em excesso nas curvas;

  • você calibrou de modo exagerado e está sentindo as rodas pesadas;

  • um conserto nas rodas foi feito de forma provisória ou não recebeu o devido cuidado;

  • o estepe não está em boas condições.

Agir preventivamente pode evitar maiores dores de cabeça no futuro. Imagina quão ruim seria ter prejuízos em virtude de desatenções como essas? Mais do que o seu lucro ou sua rentabilidade, é a sua própria vida que está em jogo por causa de detalhes.

Depois de passarmos sobre todas essas dicas, precisamos também alertar sobre a disciplina na hora de colocar tudo isso em prática — aí que você entra ainda mais em cena. Pense em todos os benefícios que essas medidas trarão para o seu negócio.

Então, curtiu nossas dicas para manutenção do pneu para caminhão? A gente espera que elas o ajudem, mas você pode voltar aqui na hora que quiser para tirar uma ou outra dúvida. O importante é cuidar bem de seu veículo e andar com segurança sempre!

Aproveite também para baixar o nosso guia completo para dirigir de forma consciente e econômica! Ele é gratuito e certamente facilitará a sua rotina na estrada.