Transformação do mercado: conheça os caminhões a gás da SCANIA

9 minutos para ler
Planilha Cálculo de FretePowered by Rock Convert

A tecnologia vem avançando a passos largos em todos os setores da economia. No caso da indústria automotiva, a realidade não é diferente. Em razão da grande necessidade por sustentabilidade, economia e produtividade, cada vez mais as fabricantes de veículos têm investido no desenvolvimento de novas tecnologias e alternativas que potencializem todos esses atributos.

Nesse contexto, acompanhando as transformações e demandas do mercado em relação à busca por soluções sustentáveis, a SCANIA, focada em inovação e eficiência operacional, coloca à disposição dos usuários a nova linha de caminhões a gás.

Com esse novo conceito, a SCANIA busca atender de forma ainda mais precisa e estratégica as demandas do mercado em termos de veículos de carga e transporte de passageiros, contribuindo diretamente com a redução dos custos operacionais e com a responsabilidade socioambiental dos transportadores.

A seguir, preparamos um artigo completo para falar um pouco mais sobre os caminhões a gás SCANIA, mostrando como eles funcionam e como podem beneficiar os usuários desse tipo de veículo. Acompanhe!

O que é um caminhão a gás?

De forma simplificada, um caminhão a gás é aquele movido exclusivamente por gás, que, no caso da linha SCANIA, pode ser tanto o gás GNC (Gás Natural Comprimido) — muito utilizado nos veículos de passeio — quanto o Biometano, que é obtido a partir do processo de decomposição de matérias orgânicas, como o lixo.

Na prática, os caminhões a gás chegam com o objetivo de oferecer mais uma alternativa para as empresas que buscam aliar mais economia e sustentabilidade às suas operações, substituindo os tradicionais motores movidos a diesel por motores inteiramente a gás, que são mais econômicos e ecológicos.

Quais são os objetivos da SCANIA na Nova Geração da marca?

A SCANIA inovou com essa modernização dos caminhões para o modelo a gás. Como dito, os novos caminhões da marca podem operar tanto com o GNC, já encontrado nos postos, quanto com o Biometano, que é um tipo de gás produzido a partir do lixo.

Aqui no Brasil, o Biometano ainda é pouco utilizado, mas com o lançamento da nova linha de caminhões a gás a SCANIA pretende estimular o uso desse recurso, de modo que os clientes que desejarem terão essa opção a partir de agora.

Para se ter uma ideia, hoje existem inúmeros aterros sanitários pelo Brasil, e todo o gás gerado nesses locais é simplesmente queimado, tendo pouca ou nenhuma aplicação capaz de gerar retorno econômico, como é o caso da utilização no abastecimento de caminhões.

Diante desse cenário, a SCANIA inova e dá mais um passo a frente aqui no Brasil ao abrir esse mercado, que já é bastante explorado na Europa, por exemplo. Dessa forma, o que a SCANIA busca é contribuir tanto para a diminuição na emissão de poluentes como também no sentido de estimular o uso de uma fonte de energia mais renovável e sustentável — e até mesmo mais econômica.

O gás é um combustível mais barato, não depende do ARLA 32, porque já polui pouco — especialmente quando comparado com o diesel. Assim, o caminhão a gás é um veículo mais sustentável do ponto de vista ambiental e também do ponto de vista das operações do cliente, que pode experimentar uma redução de custos interessante com o seu uso.

Por que a minha empresa deve se preocupar com soluções mais ecológicas?

Sobre esse ponto é importante considerar que, hoje, grande parte do transporte de cargas nacional é feito por meio terrestre, pelas rodovias. Por essa razão, o Brasil é um país que enfrenta um sério problema com a emissão de poluentes, devido à massiva utilização de caminhões a diesel nos transportes.

Hoje, os motores diesel mais eficientes trabalham dentro dos padrões da norma Euro 5, enquanto os motores a gás já superam os requisitos da norma Euro 6, um padrão ainda mais rigoroso em termos de emissão de poluentes. Ou seja, os caminhões a gás já chegam ao mercado nacional superando as normas Euro 5 e Euro 6, um diferencial que agrega ainda mais vantagens do ponto de vista da economia e sustentabilidade.

Nesse sentido, atenta à realidade dos transportes rodoviários no Brasil, a SCANIA inova para minimizar os efeitos negativos do uso massivo de combustíveis fósseis, que são os grandes responsáveis pela emissão de gases como CO₂, hidrocarbonetos, hidrogênios e outros.

Portanto, fica clara a importância de as empresas se preocuparem com a adoção de soluções mais ecológicas e eficientes. Como visto, quando um cliente passa a utilizar esse modelo de caminhão, na prática, ele não só está contribuindo para o meio ambiente, mas também para a otimização dos seus custos operacionais — o que é um grande diferencial competitivo, já que os gastos com combustível estão entre os mais pesados do orçamento dos transportadores.

Como esse modelo a gás se diferencia dos caminhões tradicionais?

Em relação ao funcionamento do motor a gás, pode-se dizer que ele é basicamente igual ao funcionamento de um motor diesel. A única diferença é que o motor a gás tem o chamado ciclo otto — que também está presente em veículos movidos a gasolina.

O que muda é a parte eletrônica. Os caminhões a gás, diferentemente daqueles a diesel, têm vela de ignição para fazer a ignição do gás. Além disso, no lugar dos tradicionais tanques, o caminhão a gás vem equipado com oito cilindros de gás, sendo quatro em cada lado.

Tomando como base um SCANIA R 410 6×2 a gás, seu conjunto comporta até 230 m³ de gás — volume equivalente a 944 litros. Assim, em sua capacidade máxima, esse R 410 6×2 tem uma autonomia de até 500 km abastecido com o GNC.

A questão da segurança

Outro diferencial dos caminhões a gás está na segurança. Cada cilindro de gás tem uma válvula solenoide, cuja função é cortar a injeção de combustível em caso de vazamento e também quando o caminhão é desligado.

No total, o caminhão tem 8 válvulas solenoides (uma em cada cilindro), mais uma solenoide principal, totalizando 9 válvulas. Além disso, existe um sensor que interrompe todo o sistema de gás do veículo automaticamente em caso de acidente, bem como um sensor de temperatura, que é responsável por liberar o gás dos cilindros para evitar explosões, como no caso de incêndio.

Desse modo, os caminhões SCANIA já saem de fábrica com os mais avançados sistemas de segurança do mercado, reafirmando o compromisso da marca com esse importante quesito.

Qual é o impacto do caminhão de funcionamento a gás na estrada?

Atualmente, nenhum fabricante de veículos do Brasil produz veículos a gás. Por isso, todos os carros que utilizam o GNV são adaptados. No caso dos caminhões a gás da SCANIA não há nenhuma adaptação, pois os veículos já saem de fábrica 100% preparados para rodar com o gás.

Nessa linha de motores, a SCANIA consegue extrair toda a sua potência e desempenho. Ou seja, não é igual aos carros, que por serem adaptados, não têm um desempenho total.

Um caminhão a gás tem basicamente a mesma força que um caminhão a diesel. Ao analisar, por exemplo, um motor R 410 — oferecido tanto a diesel como a gás — a força dos dois é basicamente a mesma, sendo praticamente imperceptível a diferença do diesel para o gás.

Isso só é possível porque o motor é fabricado para o gás. Toda a sua estrutura, sistemas auxiliares e componentes são desenvolvidos para atuar com o gás, entregando uma taxa de compressão, consumo e performance ideal.

Hoje a SCANIA oferece três motorizações:

  • duas motorizações de 9 litros, em versões de 280cv ou 340cv;
  • uma motorização de 13 litros, que rende 410cv.

Por ser um caminhão que utiliza o ciclo otto, tem um funcionamento mais linear e silencioso, semelhante até a um automóvel de passeio, mas com um desempenho digno dos motores SCANIA.

Como essa mudança diferencia o orçamento da minha empresa?

A utilização dos novos caminhões da SCANIA demanda um investimento inicial um pouco maior, isso em razão das tecnologias envolvidas. No entanto, há a vantagem da economia a longo prazo, já que o gás é um combustível mais barato, melhorando diretamente a questão da gestão financeira da empresa.

Além disso, os motores a gás não dependem do ARLA 32, o que também é um ponto positivo capaz de gerar ainda mais economia na estrada. No mesmo sentido, os caminhões a gás acabam tendo uma manutenção mais barata, já que dispensam manutenções no sistema de ar — que não está presente nesses motores — e a troca dos filtros de diesel, sem deixar de mencionar que o lubrificante tende a durar mais.

Por fim, é válido ressaltar que os componentes do sistema a gás têm uma durabilidade maior e apresentam um custo de substituição menor. Assim, de forma geral, os caminhões a gás se mostram bastante vantajosos em termos de custos operacionais e, principalmente, para o meio ambiente, quando abastecido com Biometano, quando a redução nas emissões de CO₂ pode chegar a 90%.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre os caminhões a gás da SCANIA? Tem interesse em aproveitar todos os diferenciais e vantagens que essa tecnologia pode agregar à sua empresa? Entre em contato hoje mesmo com a WLM!

Controlar os custos das sua frotaPowered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-