Scania XPI: entenda como funciona esse sistema de injeção eletrônica

7 minutos para ler
Planilha Cálculo de FretePowered by Rock Convert

Tecnologia e inovação são atributos cada vez mais valorizados no mercado automotivo. Hoje, devido à grande preocupação dos negócios com as questões ambientais, com o atendimento de normas e padrões internacionais, além das questões ligadas aos custos e performance dos veículos de carga, o nível de exigência sobre os motores diesel cresceu bastante.

Nesse cenário, a Scania, com o objetivo de seguir atendendo às demandas do mercado e reforçar o seu compromisso com a inovação, desenvolveu o Scania XPI, um sistema de injeção eletrônica de combustível de alta pressão, que tem como pontos fortes a sua alta tecnologia, economia e performance.

Para que você conheça melhor o Scania XPI, preparamos este artigo esclarecendo os principais pontos dessa tecnologia que é um grande diferencial dos caminhões Scania. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

A evolução do sistema de injeção

O sistema eletrônico de injeção é, sem dúvida, um dos maiores avanços que a indústria automobilística experimentou ao longo da história. Essa tecnologia foi responsável por mudar os rumos do mercado, aumentando o aproveitamento dos motores à combustão, aliando economia, performance e sustentabilidade.

Antes da invenção da injeção eletrônica, os motores à combustão utilizavam sistemas de injeção de combustível totalmente mecânicos. Assim, desde o processo de calibração da dosagem da mistura ar/combustível, o ajuste de tempo da injeção, até a injeção propriamente dita do combustível na câmara, todas eram etapas que dependiam do movimento coordenado de peças mecânicas.

Por essa razão, os primeiros sistemas de injeção estavam mais sujeitos ao desgaste e à perda de regulagem, além de serem imprecisos e demandarem um consumo maior de combustível. Com a evolução da tecnologia, é então criado o sistema de injeção eletrônica, solucionando uma série de falhas e limitações dos tradicionais sistemas mecânicos, além de possibilitar o uso de diferentes combustíveis.

A injeção eletrônica, até chegar à forma como é hoje, passou por inúmeras evoluções. No entanto, ainda preserva a sua essência, que é a utilização de sensores que atuam em conjunto com uma central eletrônica, responsável por comandar eletronicamente outros componentes e ajustar a injeção para atuar da maneira mais eficiente possível.

Porém, em razão do alto nível de exigência do mercado, sobretudo em relação aos motores diesel, muito utilizados nos transportes e atividades comerciais, a inovação precisa ser contínua. Diante disso, foi criado o XPI, um sistema de injeção ainda mais moderno, eficiente e alinhado às necessidades atuais em termos de performance, economia de combustível e emissões.

O Scania XPI

Como dito, mesmo depois da chegada da injeção eletrônica, a indústria não parou de buscar novos caminhos para otimizar ainda mais esse sistema. Isso por dois motivos principais:

  • o apelo econômico, já que o combustível sempre foi um dos mais altos custos que incidem nas operações de transporte;
  • as questões ambientais, dada a grande preocupação que se passou a ter sobre esse tema, além do surgimento de diferentes normas e padrões de observância obrigatória, como limites de emissão de gases.

Diante dessa realidade, com foco na inovação, a Scania eleva o patamar da tecnologia de injeção eletrônica, isso a partir do desenvolvimento do modelo de injeção XPI, lançado em 2018. Antes disso, os motores Scania eram alimentados por um sistema baseado em uma linha de que alimentava as unidades injetoras, sendo cada uma dessas unidades acionada pela peça mecânica que fazia o sistema injetar.

Assim, no padrão anterior da injeção dos motores Scania, chamado de PDE, havia a conciliação de um sistema de acionamento eletrônico com um sistema mecânico, que conseguia fazer a injeção de combustível a uma pressão de 1.600 bar.

Evoluindo com o sistema PDE, a Scania desenvolveu o sistema XPI. O Scania XPI é um sistema de altíssima pressão. Para se ter uma ideia, a pressão que antes era de 1.600 bar, com o XPI passou a ter de 500 a 2400 bar.

Além disso, toda a estrutura do sistema foi modernizada, passando a contar com dois tipos de bomba — de baixa pressão e de alta pressão. Com essa evolução, as unidades injetoras não têm mais contato mecânico. Elas são todas acionadas eletronicamente com esse novo sistema de alta pressão.

O funcionamento do Scania XPI

A seguir, detalhamos o funcionamento do sistema XPI, mostrando como seus componentes atuam para entregar mais performance, menos consumo e menos emissões. Confira!

O diesel é succionado do tanque através da bomba de baixa pressão e passa por um filtro localizado antes da bomba. Após a bomba o diesel é mantido em pressões entre 9 e 14 bar, passa por um segundo filtro até a bomba de alta pressão. A bomba de alta pressão é controlada eletronicamente, possui um sensor e uma válvula de controle de pressão, é movimentada por engrenagens da distribuição do motor e sua pressão está entre 500 e 2400 bar. Essa pressão é mantida constantemente nos tubos de alta pressão até os injetores. Com a alta pressão e o comando da central eletrônica, os bicos dos injetores são abertos e o combustível é injetado na câmara de combustão de maneira pulverizada, formando uma mistura perfeita com o ar, o que garante uma queima mais eficiente. Nesse sistema ocorrem múltiplas injeções (pré-injeção, injeção principal e pós injeção), com isso o combustível é melhor aproveitado melhorando a eficiência do motor e reduzindo a emissão de poluentes. Todo o sistema de injeção é controlado por uma central eletrônica que recebe sinal de diversos sensores para que as injeções de combustível ocorram com maior eficiência.

As vantagens do Scania XPI

A partir do aprimoramento do sistema de injeção, a Scania conseguiu alcançar uma redução de 8% no consumo dos novos motores — isso em relação ao próprio motor Scania, que já era reconhecido por ser um propulsor econômico com o sistema PDE.

Além disso, o Scania XPI conseguiu diminuir ainda mais a emissão de gases causadores de efeito estufa, contribuindo diretamente com o meio ambiente e com os negócios, que cada vez mais precisam se adequar às normas e regulamentações que tratam das emissões.

Isso foi possível porque agora o sistema passa a operar de forma totalmente eletrônica, o que garante mais eficiência no fornecimento de combustível, em pressão ideal, independentemente da rotação do motor.

O segredo por trás de tanta eficiência está no fato de que a Scania conseguiu desenvolver um sistema altamente inteligente, que é capaz de ajustar o momento ideal da injeção e, também, pelo fato de a injeção XPI trabalhar em três fases, três microinjeções que ocorrem em milésimos de segundos. Há uma pré injeção pequena e rápida; em seguida, ocorre a injeção principal e, por fim, a injeção final, que aproveita o restante de ar que tem dentro do motor e reduz ainda as emissões de gases poluentes.

Por fim, como vimos, o Scania XPI é mais uma prova do compromisso da Scania com a inovação. O sistema chega para oferecer ainda mais performance aos caminhões da marca, com o diferencial de aliar economia de combustível e redução nos níveis de emissão de gases.

Quer aproveitar todos os diferenciais, toda a inovação e toda a qualidade que os veículos Scania podem oferecer? As concessionárias WLM podem ajudar você.  Entre em contato conosco e saiba mais!

Controlar os custos das sua frotaPowered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-