Na luta cada vez maior pela igualdade entre os gêneros, uma das maiores batalhas enfrentadas pelas mulheres até hoje é aquela por melhores condições e mais respeito em seu ambiente de trabalho. Esse desafio é ainda maior em meios majoritariamente masculinos, como a direção de caminhões. Entretanto, as mulheres caminhoneiras conquistam um espaço cada vez maior e, por isso, é fundamental que haja conhecimento dos obstáculos enfrentados por elas e que entendamos o que está sendo feito — e o que ainda pode ser feito — para melhorar as condições de trabalho das mulheres que passam seus dias atrás do volante.

Quer ficar por dentro do assunto? Então, continue a leitura, conheça os desafios enfrentados pelas caminhoneiras de hoje e mãos à obra!

1. Falta de apoio

A sociedade ainda não abandonou por completo a noção de que certos espaços são “de homens” enquanto outros são “de mulheres”. Entretanto, como bem sabemos, a realidade é bem diferente!

É por isso que, ao longo dos anos, um número crescente de mulheres decide enfrentar o preconceito e os desafios para tornarem-se caminhoneiras e, assim, fazerem parte de uma profissão em que a maioria dos trabalhadores ainda é do gênero masculino.

Entretanto, nem todos aceitam isso e, consequentemente, muitas caminhoneiras sofrem com a falta de apoio da família, dos companheiros e até mesmo dos filhos. Os colegas masculinos nem sempre ajudam e, para intensificar essa sensação de isolamento e vulnerabilidade, pode ser difícil encontrar uma caminhoneira para trocar ideias.

Portanto, quem deseja seguir esse caminho precisa de muita coragem, determinação e certeza de seus objetivos.

2. Estereótipos das mulheres caminhoneiras

Os homens caminhoneiros surgem em todos os estilos, personalidades e perfis, não é mesmo? E o mesmo estereótipo vale para as mulheres, é claro! Entretanto, sem conseguir associar a feminilidade à vida no caminhão, muitos homens acreditam que todas as mulheres nessa profissão são desleixadas, sozinhas, não se preocupam com a aparência etc.

Mas a verdade é que, assim como em qualquer outro lugar, as mulheres também possuem perfis, preferências e estilos de vida diferentes. Há muitas caminhoneiras vaidosas e românticas por aí! Algumas são casadas e com filhos, outras são solteiras… Nada diferente de qualquer outra profissão.

E o que falar daquele velho clichê de que mulheres não sabem dirigir? A vida na estrada prova o contrário.

Mulheres caminhoneiras são mais cuidadosas, preocupando-se mais com a segurança na estrada e em proteger a carga que transportam. Além disso, elas também dão mais atenção à manutenção de seus veículos e, assim, representam uma economia considerável para as companhias, já que seus caminhões duram mais.

3. Assédio

Por estar quase sempre sozinha em meio a muitos outros homens, a mulher caminhoneira provavelmente enfrentará diversas situações de assédio ao longo da carreira.

Aqui, é preciso investir não somente em campanhas para que as mulheres possam se resguardar na estrada e paradas, mas, principalmente, educar os caminhoneiros para que respeitem suas colegas de profissão. Além disso, projetos que enalteçam as mulheres do setor também ajudam a estabelecê-las como profissionais que estão aí para ficar.

É o caso, por exemplo, do “Scania Driver Competition”, antiga competição do Melhor Motorista de Caminhão do Brasil, promovida pela Scania. Destacando os (as) melhores da profissão, a competição conta com uma adesão cada vez maior de mulheres devido ao apoio e incentivo que elas recebem na companhia. Projetos para o Dia da Mulher, o Outubro Rosa e o Dia das Mães também são importantes.

4. Isolamento de outras mulheres

Todos esses desafios, como já mencionamos, podem fazer com que as mulheres caminhoneiras sintam-se sozinhas em suas lutas diárias.

Sendo assim, outro ponto muito importante das campanhas de conscientização e de apoio ao gênero feminino é a oportunidade de que as mulheres da profissão convivam mais frequentemente com outras pessoas do gênero feminino na profissão.

Dessa maneira, elas poderão apoiar umas às outras e buscar, juntas, novas forças e maneiras de superar os obstáculos do dia a dia. A sororidade (a aliança entre mulheres) é um ponto fundamental na batalha pela igualdade de gênero e, dentro da profissão de caminhoneira, é capaz de levar essas profissionais cada vez mais longe.

Gostou de entender melhor o que as mulheres caminhoneiras enfrentam na profissão? Que tal ajudar a conscientizar ainda mais pessoas? Compartilhe este post nas suas redes sociais!