Você pode até não conhecer por este nome, mas certamente já deve ter se deparado com o zinabre na bateria. Estamos falando daquele pó esverdeado que se forma nos contatos e polos da bateria criando uma crosta nessa área.

Esse problema, embora simples, pode comprometer o funcionamento não só da bateria, mas de todos os sistemas do caminhão que dependam dela para funcionar. Por isso, é bom estar atento a qualquer sinal de que ele pode surgir.

Para ajudar você, preparamos este post para esclarecer o que é e como retirar o zinabre da bateria de forma adequada e segura. Continue a leitura e confira!

O que é o zinabre?

Apesar do nome incomum, o zinabre nada mais é do que o resultado da oxidação que ocorre nas partes externas da bateria, sendo mais comum nos contatos metálicos e nos polos de ligação.

Como dito, esse é um problema comum e também de fácil constatação. A presença de uma crosta esverdeada nas partes metálicas da bateria já é um indicativo suficiente de que o zinabre se formou e precisa ser removido o quanto antes.

Como ele se forma na bateria?

Explicando de maneira mais técnica, o zinabre é resultado do processo de oxidação do metal. Ele surge quando o cobre e as ligas metálicas que contém cobre entram em contato com o ar úmido e o gás carbônico.

Apenas para que você entenda melhor, a formação do zinabre ocorre de forma semelhante à da ferrugem no ferro.

Na bateria, o zinabre é gerado a partir da reação química de três elementos: ácido sulfúrico, oxigênio do ar e metal do polo ou contato. Como também depende do ar para se formar, em períodos em que a umidade está mais elevada, ou em regiões de clima úmido, o zinabre tende a se formar com mais facilidade.

O aspecto e formação do zinabre, como dito, é resultado de uma reação química. É essa reação que ocorre quando o ácido sulfúrico presente na solução líquida dentro da bateria, por algum motivo, transborda e entra em contato com as partes metálicas externas.

Esse transbordamento da solução da bateria acontece por diferentes motivos, tais como:

  • excesso de solução (eletrólito);
  • alta porosidade do metal;
  • aumento da temperatura;
  • existência de espaços vazios entre a bucha e o polo;
  • avarias na estrutura da bateria.

Quais riscos o zinabre na bateria ocasiona?

O principal efeito negativo do zinabre na bateria é que ele prejudica a condutividade da corrente elétrica, o que pode afetar o funcionamento desse componente e de todos os circuitos elétricos do caminhão.

Além disso, outros problemas podem ser ocasionados, como:

  • dificuldade de carregamento da bateria pelo alternador;
  • inutilização dos terminais e contatos da bateria devido à corrosão;
  • curtos elétricos;
  • falhas na partida, devido à falta de potência na corrente;
  • superaquecimento dos cabos e conectores;
  • falhas nos sistemas elétricos e eletrônicos do veículo, como faróis, som, injeção etc;

Em situações mais graves, quando muito tempo se passa sem que o motorista perceba a presença do zinabre, esse composto químico pode se espalhar pelas peças do motor e, também, pela lataria do caminhão, corroendo a pintura.

Como solucionar esse problema?

Agora que você sabe o que é o zinabre e como ele se forma na bateria, é preciso aprender a solucionar esse problema de maneira adequada. Para isso, listamos algumas dicas simples que ajudarão você nessa tarefa. Confira!

Água quente

Uma das formas mais simples e rápidas de se remover o zinabre da bateria é utilizando água quente. Não há segredo: basta jogar a água quente sobre a área em que o zinabre está depositado para que ele dissolva e seja completamente removido.

A recomendação aqui, no entanto, é sempre ter cuidado ao realizar esse procedimento, evitando jogar a água em outros componentes elétricos que não aqueles impregnados com o zinabre.

Vale mencionar, ainda, que o zinabre pode ser encontrado tanto na bateria, quanto em outras partes dos circuitos elétricos. Por isso, uma vez identificada a sua presença na bateria, é fundamental levar o caminhão em uma oficina especializada para que possam averiguar se não houve formação em outras áreas, principalmente aquelas de difícil acesso e visualização.

Feltros umedecidos com soluções químicas próprias

Como estamos falando de um problema relativamente simples, já existem soluções especializadas para a prevenção do zinabre na bateria.

Hoje, por exemplo, é muito comum a utilização de feltros umedecidos com soluções químicas próprias para inibir a reação que forma o zinabre. Ou seja, durante o prazo de funcionamento dessa solução, a oxidação não acontece.

A única ressalva quanto a essa alternativa é a necessidade de substituição constante desse tecido, o que gera um custo extra para o motorista. Mas ainda assim é uma solução eficiente e que pode evitar problemas mais graves ou que você fique pelo caminho.

Auxílio especializado

A maneira mais segura e efetiva de solucionar o problema do zinabre na bateria é, sem dúvida, procurando auxílio especializado. Assim você não terá qualquer dor de cabeça e ainda terá garantia pelo serviço.

Hoje, em razão da alta tecnologia embarcada nos caminhões e da presença dos mais variados sistemas eletrônicos, é preciso ser criterioso na hora de fazer reparos que envolvam a parte elétrica, pois qualquer erro pode danificar os componentes e causar grandes prejuízos.

Dito isso, a recomendação é sempre buscar auxílio de uma empresa especializada, a qual detém os equipamentos e os profissionais devidamente qualificados para solucionar esse problema rapidamente e sem qualquer risco para você e seu veículo.

Por fim, como foi possível perceber, o zinabre na bateria é um problema relativamente simples e que afeta todo tipo de veículo. Contudo, quando não identificado e solucionada a tempo, pode ocasionar uma série de falhas nos sistemas do seu caminhão, colocando em risco a segurança e a durabilidade dos componentes elétricos. Por isso, é preciso estar sempre atento aos sinais de surgimento do zinabre e procurar apoio especializado.

Agora que você já sabe o que é como resolver o problema do zinabre na bateria, o que acha de compartilhar este artigo nas suas redes sociais e contribuir para que essas informações ajudem outros motoristas? Compartilhe!