Vamos falar um pouco sobre a durabilidade dos pneus de caminhão? Manter o veículo sempre pronto para as viagens é essencial para se destacar no mercado e conquistar novos clientes, mas isso requer inúmeros cuidados.

Como você sabe, a manutenção dos pneus pode ser um de seus maiores gastos, visto que o valor de troca gira em torno de R$500 e R$1.500 reais, sem se esquecer, é claro, que alguns veículos podem possuir até 8 eixos.

Mas, não é só isso. Manter os cuidados com esse componente é muito importante para que suas viagens sejam tranquilas e seguras. Em geral, o desgaste nos pneus pode ser a causa de inúmeros acidentes.

Infelizmente, a alta abrasividade e a pouca qualidade do asfalto brasileiro não colaboram com o caminhoneiro. Mas adotando algumas estratégias inteligentes você pode conseguir aumentar a sua durabilidade, a segurança nas estradas e ainda ampliar seus lucros.

Quer descobrir como alcançar todos esses resultados? Anote aí as dicas infalíveis que preparamos para você!

1. Cuide da calibragem para aumentar a durabilidade dos pneus

Todo motorista profissional sabe que manter os pneus calibrados é essencial para o funcionamento do caminhão e para a redução do consumo do combustível. Mas isso também assegura sua durabilidade.

Portanto, a primeira dica deste material não poderia deixar de ser essa. Calibrar os pneus é uma atitude simples e rápida que traz benefícios expressivos a você e ao seu veículo.

Como os caminhões rodam muito mais que um veículo de passeio, a temperatura da borracha apresenta muita variação, o que pode causar perda de pressão. Por isso, pelo menos duas vezes por semana, é bom verificar a calibragem dos pneus.

O ideal é usar um calibrador automático. A pressão em um pneu de caminhão gira em torno de 110 libras, mas isso varia de acordo com o modelo e com a carga transportada. Se está rodando vazio, você pode diminuir a calibragem e, caso esteja transportando algo muito pesado, é preciso aumentar a pressão.

Lembrando que a calibragem correta não só aumenta a vida útil do pneu, como evita acidentes, já que os pneus murchos fazem com que você tenha menos controle sobre o veículo, principalmente em curvas. Além disso, quando roda com menos pressão na borracha, o caminhão tem mais atrito com o solo e isso obriga o motor a fazer mais esforço para movimentar o conjunto, aumentando o consumo de combustível.

Assim sendo, não há dúvidas de que essa é uma boa prática a ser adotada em seu dia a dia. Jamais se esqueça de conferir se os pneus estão devidamente calibrados e tenha como hábito essa checagem antes e depois de cada viagem.

Por fim, vale destacar que apesar de muitos caminhoneiros utilizarem marretas para verificarem a pressão dos pneus, essa prática não é aconselhada, pois não indica com precisão a calibragem existente.

2. Faça o rodízio de pneus regularmente

Você tem o cuidado de realizar o rodízio dos pneus de seu caminhão? Caso ainda não tenha esse hábito, é bom lembrar que as fabricantes orientam que isso seja realizado a cada 10 mil Km — isso pode variar de acordo com o modelo do veículo, por isso confira em seu manual.

Mas com qual finalidade isso é feito? O rodízio é mais uma prática simples de ser realizada que tem o objetivo de evitar o desgaste dos pneus de maneira diferente. Quando você faz essa troca, todos eles sofrem o mesmo tipo de influência, evitando que haja prejuízos para a sua dirigibilidade.

Já pensou em como um pneu mais desgastado do que outro pode prejudicar a qualidade de suas viagens? Se você está sentindo um lado mais pesado do que o outro, o problema pode ser exatamente esse!

Mas atenção! A maneira correta de realizar o rodízio é trocar os pneus de lugar, sempre do mesmo lado do caminhão. Ou seja, os pneus do lado esquerdo devem ser mantidos nesta posição, assim como os do lado direito.

Outro aspecto importante a ser ressaltado é que a troca entre os eixos deve ser realizada observando a legislação brasileira, que proíbe o uso de pneus reformados no eixo dianteiro.

Por isso, para não enfrentar problemas, procure uma oficina especializada nesse tipo de serviço. Esses profissionais saberão como realizar o processo, de acordo com as necessidades dos pneus externos e internos, além de eixos de tração e reboque.

3. Adote boas práticas de direção defensiva

Nossa terceira dica está relacionada à maneira com que você conduz o seu veículo. Afinal, quando você adota uma postura mais responsável ao volante, naturalmente os pneus são preservados.

Dirigir devagar ajuda a manter a sua segurança e a durabilidade dos pneus. Via de regra, forçar muito o caminhão, principalmente em subidas e curvas, faz com que os pneus se desgastem prematuramente e ainda coloca em risco a sua vida e a daqueles que estão trafegando na estrada.

Quando você faz uma curva em velocidade superior ao indicado, o pneu se arrasta no asfalto e acaba gastando mais. Arrancadas e freadas bruscas também causam o mesmo efeito.

4. Aproveite as vantagens de rodar à noite

Essa é uma dica que precisa de ressalvas, principalmente porque a Lei dos Caminhoneiros tratou do tema de maneira bem clara, limitando a jornada de trabalho dos motoristas para 8 horas diárias, com possibilidade de 4 horas extras.

Isso quer dizer que é preciso respeitar os limites legais e ser consciente em relação aos intervalos para descanso.

Por outro lado, não há dúvidas de que o asfalto quente causa um desgaste maior aos pneus. A alta temperatura somada a excessiva abrasividade do asfalto brasileiro faz com que a borracha dure menos e reduz o prazo para a substituição.

Por isso, sempre que for possível, tente priorizar as viagens noturnas, cuidando para não avançar muito ao longo da madrugada, pois o cansaço pode trazer consequências para a sua dirigibilidade.

O ideal é fazer o transporte de maneira que você possa aproveitar melhor a estrada. Assim, uma boa estratégia é conseguir rodar durante o dia e avançar alguns quilômetros ao entardecer. Isso já é suficiente para melhorar a durabilidade de pneus do caminhão.

5. Mantenha o caminhão alinhado e balanceado

Um dos procedimentos executados durante a manutenção preventiva do caminhão é o alinhamento e balanceamento. Além dos grandes benefícios que esse cuidado assegura, isso aumenta a vida útil de seus pneus.

É aconselhável que você realize o serviço a cada 15 mil km. No entanto, as condições das estradas em que você trafega podem exigir um prazo menor para o procedimento.

Para saber se o caminhão está desalinhado, verifique se a direção está puxando para um dos lados. Se isso ocorrer, é sinal de que é preciso fazer uma parada para alinhar as rodas. Caso contrário, poderá enfrentar problemas, especialmente em relação ao maior desgaste em alguns dos pneus.

Caso esteja percebendo uma trepidação quando o veículo alcança velocidades acima de 60 Km/h, o problema pode estar no balanceamento. Assim, com o pneu trepidando, o desgaste tende a ser maior e irregular, o que reduz seu prazo de troca.

6. Fique atento aos barulhos na suspensão

Um bom motorista está atento a tudo ao seu redor e precisa aprender a identificar barulhos estranhos em seu caminhão. Diante das péssimas condições das estradas brasileiras, a suspensão é um dos itens que mais apresenta defeitos e, claro, acaba prejudicando outros componentes.

Se a suspensão não estiver funcionando bem, a carga sobre os pneus aumenta e pode gerar um desgaste prematuro. Isso quer dizer que a qualidade da suspensão está intimamente ligada à durabilidade de seus pneus.

Portanto, a nossa orientação é que você cheque todo o conjunto a cada 20 mil Km, mantendo uma atenção especial às molas e amortecedores. Além disso, treine seu ouvido e fique atento ao excesso de rangidos ou batidas secas.

7. Fique de olho na profundidade dos sulcos

Qual foi a última vez que você observou seus pneus? Muitos caminhoneiros deixam isso para depois, mas em poucos minutos é possível identificar problemas e evitar uma série de transtornos.

Mesmo que você seja precavido e adote todas as estratégias para cuidar dos pneus, não há como evitar e adiar a troca eternamente. Afinal, nada dura para sempre e o pneu tem um prazo de validade.

Para acertar o melhor momento, você deve ficar atento à profundidade dos sulcos da borracha. O recomendado é que eles tenham, no mínimo, 1,6 milímetro de profundidade.

Mas calma! Não é preciso medir cada um com uma régua. Os pneus contam com o TWI (Tread Wear Indicator), um medidor que fica localizado dentro de cada sulco e ajuda a saber se já é momento de trocar o pneu. Se você está conseguindo visualizá-lo, é sinal de que chegou o momento de procurar um composto novo.

Fique atento, pois trafegar com os pneus carecas é uma das maiores causas de acidentes nas estradas. Com menos borracha, o pneu tem menos capacidade de aderir ao asfalto e, em caso de chuva, as ranhuras não serão capazes de drenar a água que está na pista, causando aquaplanagem.

8. Tenha cuidado com o ressecamento dos pneus

Qual caminhoneiro nunca enfrentou problemas com ressecamento dos pneus, não é mesmo? Isso acontece devido a vários aspectos, dentre eles o uso de produtos inadequados durante a lavagem e até mesmo estacionar sobre manchas de óleos e combustíveis.

Mas não é só isso. É possível que o pneu resseque em razão do desgaste natural. Ou seja, se ele já estiver no prazo de ser trocado, dificilmente você conseguirá evitar esse problema.

No entanto, existem dicas que aumentam a vida útil do pneu e, portanto, reduzem os níveis de ressecamento. Assim, a maior orientação é mantê-los longe dos derivados de petróleo e solventes. Esses produtos afetam a borracha e geram o ressecamento prematuro.

Lembrando que um pneu ressacado é um risco a sua segurança, pois o caminhão perde aderência e se torna mais frágil e vulnerável a pancadas. Isso quer dizer que é bom ficar atento e realizar as troca nesses casos.

9. Estude as rotas antes de seguir viagem

planejamento de rotas é uma estratégia importante para o caminhoneiro. Como você sabe, seguir viagem com um plano já traçado é uma maneira de tornar o trajeto mais seguro, rápido e econômico.

Em relação aos pneus, é interessante observar que o caminhoneiro pode traçar suas rotas escolhendo as melhores estradas. Desse modo, ele assegura uma maior durabilidade para o veículo e seus componentes e ainda se beneficia de várias outras formas.

Assim sendo, procure estudar um pouco as possibilidades existentes para cada viagem, estudando as condições, perigos e benefícios de cada uma das rotas a sua disposição.

10. Observe a válvula de ar ou o bico do pneu

Muitos motoristas nem dão tanta importância a esse pequeno componente, mas a válvula de ar é fundamental para a durabilidade do pneu.

Caso você ainda não saiba, além de evitar a perda de pressão, ela impede que sujeiras entrem para o interior do pneu, ocasionando danos. Por isso, é necessário conferir o estado da válvula, trocando-a sempre que apresentar ressecamento.

Para isso, quando for calibrar o pneu ou trocar o composto, faça uma inspeção atenta em todas elas e observe com atenção se estão em bom estado. Em geral, o custo dessa manutenção é baixo e, por isso, não há motivos para deixar para depois.

11. Lubrifique os parafusos das rodas

Você já precisou trocar um pneu e teve dificuldades em razão dos parafusos estarem ressecados ou enferrujados? Essa é uma situação comum e está relacionada à falta de lubrificação dos parafusos das rodas.

Manter tudo bem cuidado, contribui para soltar as peças com maior facilidade e agilizar a troca. Além disso, essa medida evita o desgaste natural relacionado às condições a que o pneu é submetido, como sol, chuva e ressecamentos naturais.

12. Faça o carregamento da maneira adequada

Nossa última dica para você que deseja ampliar a vida útil de seus pneus é tomar certos cuidados durante o carregamento do caminhão. A carga não pode ser colocada de qualquer maneira no compartimento e existem técnicas que contribuem para a segurança e qualidade da viagem e do veículo.

O indicado é que a carga seja acondicionada de trás para frente e que haja um equilíbrio entre os lados esquerdo e direito. Além disso, a maioria dos manuais também contém orientações específicas para cada modelo. Por isso, é sempre bom lembrar sobre a importância de ler esse documento com atenção.

Conseguiu anotar as nossas dicas? Conforme você viu, neste post reunimos boas práticas para assegurar a durabilidade de pneus de caminhão. Muitos caminhoneiros não conhecem todos esses procedimentos e acabam enfrentando problemas de segurança e financeiros. Quando o assunto é durabilidade de pneus não se pode descuidar.

Todos os procedimentos indicados acima são importantes para que você tenha mais tranquilidade e rentabilidade nas viagens! Por isso, comece agora mesmo a colocá-las em prática!

Gostou das nossas dicas e quer ajudar seus amigos a enfrentarem o mesmo problema com eficiência? Basta compartilhar este post em suas redes sociais! É rápido, simples e você ainda colabora com o crescimento de sua profissão!